O Vitória de Burse: 'Bastante agressivo', avisa Marco Antônio

e.c. vitória
23.06.2022, 15:08:00
Zagueiro Marco Antônio já trabalhou com o técnico João Burse na base do Vitória (PIETRO CARPI / ECV)

O Vitória de Burse: 'Bastante agressivo', avisa Marco Antônio

Zagueiro foi treinado pelo novo técnico na base da Toca do Leão

Um Vitória disposto a ir para cima do adversário. É o que o torcedor verá na estreia do novo técnico João Burse, segundo o zagueiro Marco Antônio. Revelado na Toca do Leão, o defensor foi treinado pelo atual comandante nas categorias de base rubro-negra e será um de seus homens de confiança no jogo contra o Altos-PI, sábado (25), às 19h, no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina.

"Pelo que o professor Burse passou no dia a dia, pelo que ele pediu para tentar transferir para o jogo, é propor o jogo e tentar ser bastante agressivo. São as características do professor Burse", contou Marco Antônio, durante entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (23). "Temos uma relação de muito respeito, respeito mútuo", completou o zagueiro de 21 anos.

Titular em sete das 11 rodadas da Série C, Marco Antônio reencontra o antigo professor com moral. No elenco principal desde o início da temporada, ele demorou a ganhar sequência, mas conseguiu se firmar no time e ter atuações de destaque. 

"Eu sempre acreditei no meu dia a dia. Sabia do meu potencial e que trabalhava forte. Era questão de oportunidade mesmo e quando ela chegou eu estava preparado por aquilo que eu faço diariamente. Para alguns pode ter sido surpresa, mas eu estava confiante no meu potencial e trabalho", afirmou o zagueiro, que ganhou espaço com Fabiano Soares, demitido no último domingo (19) após a derrota por 1x0 para o Botafogo-SP, no Barradão.

O ex-comandante tinha, inclusive, passado a faixa de capitão para o prata da casa. "Eu fiquei muito feliz. É uma conquista minha, pessoal e a responsabilidade também aumenta, mas pra mim foi tranquilo. Eu já fui capitão algumas vezes na base e fiquei muito feliz de poder, aos 21 anos, realizar também esse sonho no profissional. Ser capitão ou não, isso não é o diferencial. Quero estar lutando dentro de campo para conseguir as vitórias", projetou. 

Vencer é uma questão de sobrevivência para o Vitória. Com 11 pontos, o Leão é o porteiro da zona de rebaixamento da Série C, na 16ª colocação. Primeiro time dentro do grupo da degola, o Floresta aparece na 17ª posição, com mesma pontuação. 

Já a distância para o G8, grupo de times que avançam à próxima fase do torneio para disputarem o acesso, é de seis pontos. O Manaus, 8º colocado, soma 17 pontos. O Mirassol lidera com 23. 

O Vitória não vence há três rodadas. O último triunfo foi há quase um mês, em 28 de maio, quando ganhou do Campinense por 1x0, no estádio Amigão, em Campina Grande. De lá pra cá, tropeçou contra Volta Redonda (2x1), Atlético-CE (1x1) e Botafogo-SP (1x0). 

"A gente sabe da nossa responsabilidade, sabe que a gente tem deixado a desejar, tem deixado escapar pontos bestas, mas a gente está indo em busca e, espero em Deus, que a gente consiga a vitória no sábado", afirmou Marco Antônio.

Adversário da vez, o Altos tem 13 pontos e ocupa o 13º lugar. Se vencer, o Vitória ultrapassa o adversário e o deixa em situação delicada na tabela. "O professor João Burse passou pra gente os pontos positivos e negativos do Altos e a gente vai tentar transferir para o jogo, para ir lá, conseguir a vitória e se afastar o quanto antes do Z4, que é o mais importante", frisou Marco Antônio.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas