Ônibus elétricos começam a rodar de Pirajá até a Ilha de São João

salvador
29.10.2020, 16:22:00
Atualizado: 29.10.2020, 16:24:10
(Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

Ônibus elétricos começam a rodar de Pirajá até a Ilha de São João

O trajeto, que tem 13,2 km e será feito em uma hora pelos veículos, começa a valer a partir de terça (3)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com ar-condicionado, em assentos confortáveis e sem ouvir nenhum ruído de motor. É assim que será a experiência do soteropolitano que tiver acesso aos ônibus elétricos. A partir da próxima terça-feira (3), os veículos farão um trajeto de 13,2 quilômetros da viagem que começa na estação de ônibus de Pirajá, acessa a BR-324 (no sentido Centro) e segue pela Ligação Pirajá/Lobato, em um percurso que terá uma média de duração de uma hora. Para acessar os veículos, o cidadão precisará pagar o valor de R$ 4,10, mesma quantia já paga nas linhas de ônibus tradicionais da capital baiana.

Após a viagem nos ônibus elétricos, que têm capacidade para 71 passageiros, com 33 pessoas sentadas e 38 em pé, os soteropolitanos poderão fazer integração com os ônibus e o metrô em até três horas. A frota de veículos começa tímida, com apenas dois ônibus, mas deve ser ampliada para cinco ônibus ainda em outubro, já que mais três veículos chegarão nos próximos dias, segundo informações do governador Rui Costa.  De acordo com a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), o quadro regular conta com 18 horários - com saídas de, aproximadamente, 30 em 30 minutos - e o primeiro ônibus da Mapele/Ilha de São João sai a partir das 5h, enquanto o primeiro da Estação Pirajá sai a partir das 5h51.

Ônibus tem capacidade para 71 passageiros, com 33 pessoas sentadas e 38 em pé (Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

Movidos por bateria de fosfato ferro-lítio, os veículos têm autonomia de 250 quilômetros, o que possibilita o seu funcionamento durante todo o dia, precisando de recarga somente na parte da noite, quando serão recarregados na garagem. A economia e zero emissão de poluentes no meio ambiente são pontos fortes destes ônibus. De acordo com o governo, o custo operacional é 70% menor que um ônibus convencional movido a diesel. Outro aspecto importante a se destacar é a baixa necessidade de manutenção, já que têm número reduzido de peças. 

Saúde e conforto
Rui Costa, após fazer a viagem teste, comemorou a implantação do modelo de transporte. O governante afirmou que o ônibus elétrico dá mais conforto para passageiros e também para motoristas. "Isso aqui cuida da saúde dos motoristas e passageiros, com o conforto acústico e auditivo de um ônibus que traz uma experiência mais agradável para quem se transporta nesse. Para o cidadão, é muito mais interessante viajar em um ônibus com um clima agradável e sem um barulho comum dos motores. Já para o motorista, o modelo é positivo porque deixa para trás o motor, o calor, as marchas que causam problema por esforço repetitivo no braço", destaca.

Rui acredita que ônibus elétricos são positivos para a saúde de motoristas e passageiros (Foto: Fernando VIvas/GOVBA)

O diretor técnico da Skyrail Bahia, Alexandre Barbosa, acompanhou o discurso do governador ao ressaltar a nova experiência de transporte que chega à cidade com os veículos silenciosos e que dispensam a queima de combustível. "São ônibus totalmente elétricos, com zero ruído e ar condicionado. Um equipamento que altera por si só o conceito de viagem do soteropolitano e que proporciona, além do conforto e da comodidade, um caminho menos estressante que otimiza a mobilidade no Subúrbio Ferroviário de Salvador", afirma.

Funcionalidade sustentável
Em média, os ônibus tradicionais funcionam a partir do consumo de 90 litros diários de diesel. Construído com a sustentabilidade como objetivo, o ônibus elétrico deixa de emitir 110 toneladas de CO2 por ano na atmosfera. Rui Costa entende que, ao passo que reduz a emissão de poluentes, os veículos contribuem para a saúde dos cidadãos de Salvador.  "É um ônibus moderno e elétrico que, quando introduzido no dia a dia do cidadão, cuida da saúde da população, porque não queima diesel e deixa de prejudicar o ar e, consequentemente, a respiração de crianças e idosos que são diretamente afetados com dificuldades respiratórias", salienta.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, a implantação dos ônibus que agridam menos o meio também será feita em linhas metropolitanas. "Já estão sendo feitos estudos práticos e operacionais para a inclusão de ônibus mais modernos nas estações dos ônibus metropolitanos. Esta semana, estamos testando um modelo de ônibus a gás, no Litoral Norte, transitando entre Lauro de Freitas, Estação Aeroporto e Praia do Forte, e agora aqui em Salvador com esse modelo elétrico", explica. Segundo informações do governo, o objetivo é colocar linhas de ônibus elétricos também no âmbito intermunicipal com veículos com destino a Feira de Santana, por exemplo.

O objetivo do governo é colocar linhas de ônibus elétricos também no âmbito intermunicipal (Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

Obra do VLT
Os ônibus elétricos que entrarão em operação em Salvador são fornecidos pela BYD, que integra a Skyrail Bahia, Sociedade de Propósito Específico (SPE) estabelecida por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP). É a mesma empresa que será responsável pela construção e operação do VLT do Subúrbio. Alexandre Barbosa afirma que os moradores da região já vão sentir a mudança na qualidade do transporte público com os ônibus BYD, que será intensificada após a implantação do VLT. “Esses veículos são bastante confortáveis, totalmente sustentáveis e representam o início da transformação da mobilidade na região. Mais adiante, com o VLT em operação, as pessoas mudarão totalmente a forma de se locomover no Subúrbio”, promete.

O modal 100% elétrico vai substituir os trens do Subúrbio, compondo um degrau importante para o desenvolvimento de Salvador. Cerca de 172 mil passageiros vão ser transportados por dia, beneficiando, em média, 600 mil pessoas que vivem na região. O VLT é o maior projeto de mobilidade da história da região que trará mais qualidade de vida aos passageiros ao ligar a região metropolitana (Ilha de São João, em Simões Filho) e o Subúrbio Ferroviário com o miolo de Salvador (até a estação Acesso Norte) e o Comércio, em apenas 45 minutos, onde será possível integrar com outros modais como metrô e ônibus.


*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas