Ônibus seguem sem circular em parte do Jardim das Margaridas após PM matar três

salvador
24.08.2021, 10:51:00
Atualizado: 24.08.2021, 11:46:13
(Arisson Marinho/CORREIO)

Ônibus seguem sem circular em parte do Jardim das Margaridas após PM matar três

PM diz que mortes foram em troca de tiros; moradores dizem que vítimas não eram criminosas

As linhas de ônibus que vão até Jardim das Margaridas continuam sem circular em parte do bairro nesta terça-feira (24). Os rodoviários apontam insegurança após três homens serem mortos em confroto com a Polícia Militar.

Fábio Primo, vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, diz que ao longo do dia a situação será analisada e discutida com a Polícia Militar para verificar a possibilidade de retorno hoje.

Com a mudança, os ônibus vão até a Travessa Acalanto, passam pelo largo e seguem para  a rua Francisco de Assis - não estão indo até a Rua Joaquim Ferreira e o fim de linha do Recanto das Margaridas, como acontece normalmente.

As três mortes aconteceram ontem, durante um confronto com a Polícia Militar. Segundo a PM, equipes da 49ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/São Cristóvão) foram até o local por volta das 10h30 para conferir uma denúncia de homens armados estavam traficando drogas na localidade da Portelinha, no Jardim das Margaridas.

Ao chegar no local, os policiais viram um homem em atitude considerada suspeita, que foi abordado e revistado. Eles descobriram que este homem tinha um mandado de prisão em aberto e ele foi preso e levado ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Às 14h, policiais da companhia, apoiados por equipes do Grupamento Aéreo (Graer), Batalhão de Choque e Companhias Independente de Policiamento Tático (CIPT)/Rondesp Atlântico e RMS, voltaram à Portelinha para checar informação de que um grupo armado fugiu do bairro de Valéria, que está ocupado pela PM, e havia se escondido na região. 

Ao chegar no local indicado, uma equipe da Rondesp foi recebida a tiros. Houve revido e início de uma troca de tiros. Três homens foram feridos e foram levados para o Hospital Menandro de Farias, mas acabaram morrendo. 

Na ação, foram apreendidos três revólveres calibre 38, um carregador de pistola calibre 380, quatro celulares, 40 pinos de cocaína, uma sacola plástica com pinos vazios para guardar droga, quatro porções de maconha, um relógio e roupas camufladas. Todo o material e a ocorrência foram registrados no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), diz a PM.

Os moradores da região fizeram um protesto na noite de ontem e dizem que os três mortos não têm relação com o tráfico de drogas ou outros crimes. Eles chegaram a atear fogo em objetos em frente ao Recanto das Margaridas durante o protesto.

Uma moradora não identificada disse à TV Bahia que os três eram novos no bairro e vendiam lanches. “Passaram muito tempo dentro do apartamento. Para depois de muito tempo efetuarem os disparos que matou os meninos. Eles trabalhavam em uma barraca aqui em frente ao prédio, uma barraca verde, onde eles vendiam pastel e coxinha. Eram moradores novos", diz.

A PM diz que o policiamento na região foi reforçado.


(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas