Organização da Flica planeja realizar edição virtual

sua diversão
06.10.2020, 20:19:00
Atualizado: 06.10.2020, 20:45:14
Festa Literária de Cachoeira teve nove edições consecutiva e planejava uma 10ª edição em grande formato (Foto: Divulgação/Flica)

Organização da Flica planeja realizar edição virtual

Segundo Emmanuel Mirdad, um dos criadores do evento, versão online da festa será um novo produto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

"E por falar em realidade, a que vivemos hoje não é de alegria. Não poderemos nos encontrar presencialmente neste ano. Cumprindo nossa responsabilidade diante do atual cenário de pandemia, infelizmente não realizaremos a Flica 2020”. Esse é um trecho da nota oficial divulgada pela organização da Festa Literária Internacional de Cachoeira no último dia 11 de agosto, que anunciava o cancelamento do que seria a 10ª edição da Flica.

Em entrevista ao CORREIO nesta terça-feira (6), um dos criadores e organizadores da festa, a maior feira de literatura do estado da Bahia, Emmanuel Mirdad, falou que a produção está tentando viabilizar um formato virtual da Flica, mas que não seria a 10ª edição.

Segundo Mirdad, a ideia é aproveitar  a reputação da Flica e lançar algo que possa partir para o meio digital. Ele pondera, no entanto, que nada se compara à experiência oferecida pelo evento. Ainda de acordo com o organizador, a 10ª edição só vai acontecer quando a situação da pandemia estiver controlada, "ou quando surgir vacina, ou estabilizado por uma imunidade coletiva".

Mirdad comenta que fica triste por estar estar em um mês de outubro e não ter Flica. O evento teve 9 edições ininterruptas e planejava uma grande edição. "Estava tudo lindo, tudo maravilhoso, mas a pandemia jogou tudo de cabeça pra baixo, pernas para o ar assim como o mundo todo", disse.

Mirdad explicou que o novo produto já foi desenhado, mas que depende de conseguir patrocinadores para sair do papel. A organização estudou maneiras de adaptar o que fosse possível, tanto da festa quanto de Cachoeira, para um ambiente virtual. No entanto, é consenso de que será muito difícil, já que muitos patrocinadores tiveram impactos econômicos gigantescos em decorrência da pandemia.

"A Flica é um sucesso porque é uma experiência. Você aperta a mão do autor, dá um beijo, um abraço, pega autógrafo, encontra ele na rua. É você poder passear por Cachoeira, que é uma cidade maravilhosa, vivenciar a beleza, o clima gostoso, sentir a paz para encher o cara com um escritor, conhecer gente, comprar um artesanato. É uma experiência de muitos sentidos, é preciso estar lá para sentir. Não há virtualidade no mundo capaz de emular isso", pontua.

Uma outra Festa Literária importante do Brasil, a Flip, de Paraty-RJ, confirmou que fará a sua 18ª edição de maneira totalmente virtual. A programação será composta por mesas transmitidas ao vivo em plataforma própria e nas redes sociais da Festa, além de vídeos gravados, eventos paralelos e programações de parceiros. Para as mesas ao vivo, já estão confirmadas as presenças de autores internacionais como a britânica Bernardine Evaristo, a colombiana Pilar Quintana e o baiano Itamar Vieira Junior.

"A Flica é um sucesso porque é uma experiência. [...] Não há virtualidade no mundo capaz de emular isso", Emmanuel Mirdad sobre possibilidade de uma Flica Virtual

Na véspera de lançar o seu primeiro romance, Emmanuel Mirdad ainda afirmou que discorda de algumas ideias de seus colegas da produção cultural neste momento de pandemia. Para o criador da Flica, o momento não é de fazer os eventos somente como uma maneira de marcar território ou tapar um buraco. Ele acredita que a pandemia deixa uma lacuna para que o setor pense em ideias que vão agradar o público de fato.

Mirdad afirma que é importante pensar em coisas que o público goste, interja, aproveite, se diverta, receba e promova conhecimento - ainda que isso aconteça de maneira virtual. Em 2019, a Flica teve entre suas atrações mesas de debate com escritora e antropóloga Lilia Moritz Schwarcz, o poeta e professor Antônio Brasileiro e o cordelista Bráulio Bessa, entre outros. Temas como poesia, quadrinhos, perspectivas negras fazem parte da programação, que também tem uma série de lançamentos de livros e atividades por toda a cidade de Cachoeira.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas