Órgãos concluem que Barragem Rio dos Macacos não tem risco iminente de rompimento

salvador
23.05.2020, 09:05:01
Atualizado: 23.05.2020, 09:51:17

Órgãos concluem que Barragem Rio dos Macacos não tem risco iminente de rompimento

Moradores não precisam ser retirados imediatamente da região

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A situação da Barragem Rio dos Macacos preocupa moradores, mas não há a necessidade da retirada imediata da população que vive nas proximidades e não há risco iminente de rompimento. A conclusão saiu após uma reunião conduzida pelo Ministério Público Federal (MPF) e os órgãos responsáveis por fiscalizar e adotar medidas para restauração da barragem, nesta sexta-feira (22).

Segundo nota divulgada pelo MPF, após a reunião, que foi realizada por videoconferência, ficou decidido que a Marinha deve "a adoção das medidas indicadas pelos órgãos de monitoramento e fiscalização, tanto nos laudos quanto na reunião, além de concluir os estudos aprofundados sobre a estrutura da barragem e adotar os procedimentos que este venha a indicar para a segurança".

Em nota, a Marinha informou que não há risco iminente de rompimento da barragem e que atua em duas frentes: "o monitoramento diário, fim acompanhar a evolução da fissura e o comportamento do talude, bem como a retirada de água, de modo a reduzir o nível e aumentar a segurança da barragem".

Além disso, a Base Naval contratou a instalação de piezômetros e marcos superficiais no talude e na fissura, para monitorá-los, e 11 sifões para retirar água e diminuir o nível da barragem.

Na reunião, ficou decidido também que os municípios de Salvador e de Simões Filho devem fazer o levantamento das comunidades que seriam imediatamente impactadas por eventual rompimento da barragem. Já o Inema deverá concluir o levantamento da situação das barragens particulares situadas a montante (acima/antes) da Barragem Rio dos Macacos e cobrar de seus proprietários a devida manutenção. Os nomes desses proprietários devem ser enviados pelo instituto ao MPF.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas