Oscar Ruiz revela conversa com Maxi antes de acerto com o Bahia

e.c. bahia
09.04.2021, 15:20:00
Regularizado, Oscar Ruiz é opção para estrear contra o ABC (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Oscar Ruiz revela conversa com Maxi antes de acerto com o Bahia

Apresentado, atacante paraguaio se colocou à disposição para estrear

Integrado ao elenco do Bahia e regularizado, o atacante Oscar Ruiz pode ser a novidade do tricolor na partida contra o ABC, sábado (10), no estádio de Pituaçu, pela última e decisiva rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste.

Em sua primeira experiência no futebol brasileiro, o jogador se mostra confiante em fazer sucesso com a camisa tricolor. Apresentado oficialmente, ele explicou o motivo de ter escolhido defender o Esquadrão, já que tinha outra proposta do Pumas, do México, e viu o Cerro Porteño fazer jogo duro nas negociações com o clube baiano.

No acordo para contratar Ruiz, o Bahia ficou de pagar 400 mil dólares (cerca de R$ 2,3 milhões) por 50% dos direitos do atacante de 29 anos, que assinou contrato até o fim de 2023.

"Escolhi o Bahia por ser um clube muito grande no Nordeste, um clube muito apaixonado. Quando cheguei aqui, a estrutura me pareceu incrível, muito lindo. Pronto para um atleta trabalhar, e isso me deixa muito feliz", disse.

O jogador revelou que buscou informações sobre o Bahia com outro estrangeiro: Maxi Biancucchi. O argentino defendeu o Esquadrão entre 2014 e 2016 e fez carreira no futebol paraguaio. Aposentado, Maxi trabalha atualmente com o empresário de Ruiz.

"Me reuni com Maxi, me falou muito bem do clube, maravilhas. Desde o primeiro momento que o Bahia declarou interesse em mim, não houve nenhum momento que não quis vir para cá. Agradeço a confiança do grupo e vou trabalhar duro para poder corresponder dentro de campo", contou.

Opção no ataque
No Bahia, Oscar Ruiz chega para preencher uma das lacunas que o Esquadrão tem no ataque. Com características de atuar pelos lados do campo com velocidade, ele disse que está pronto para jogar na função em que Dado Cavalcanti precisar, mas não ficou em cima do muro sobre o espaço que prefere.

"No Cerro atuei na ponta direita ou esquerda. Na verdade, posso atuar dos dois lados. O professor já conversou comigo, me disse a intenção que quer de mim. Estou em condições de fazer esse trabalho", finalizou o atacante, sem detalhar.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas