Osid e arcebispo pedem audiência com Bolsonaro sobre canonização de Irmã Dulce

salvador
17.05.2019, 09:46:00
Atualizado: 17.05.2019, 09:46:26

Osid e arcebispo pedem audiência com Bolsonaro sobre canonização de Irmã Dulce

Canonização deve ser celebrada em Salvador, uma semana após cerimônia no Vaticano

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A superintendente das Obras Sociais Irmã Dulce, Maria Rita Lopes Pontes, e o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, solicitaram uma audiência com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para falar sobre a canonização da primeira santa brasileira e a celebração que será realizada em Salvador. A ideia é que seja um momento festivo na terra dela, proclamando-a Santa em solo brasileiro, no domingo posterior à celebração no Vaticano.

A carta foi entregue na quinta-feira (16), ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para ser encaminhada ao presidente. Maria Rita e a gestora de Saúde da Osid, Lucrécia Savernini, participaram, em Brasília, de uma audiência com o ministro. Durante o encontro, ele parabenizou Maria Rita pela promulgação do decreto do Papa Francisco reconhecendo o segundo milagre atribuído à intercessão de Irmã Dulce, cumprindo-se assim a última etapa do processo de Canonização da beata baiana. 

Foto: Divulgação

Admirador do Anjo Bom da Bahia, Mandetta confirmou presença na cerimônia de santificação da religiosa, no Vaticano, cuja data ainda será marcada pelo Santo Padre. O ministro também foi presenteado com uma imagem da Bem-Aventurada, uma relíquia de segundo grau da freira e uma medalhinha, além do brownie produzido no centro de panificação da OSID. 

O encontro, que contou com a participação do deputado federal João Roma, também foi pautado por um pedido de apoio ao governo federal, em virtude do delicado momento financeiro pelo qual passa as Obras Sociais Irmã Dulce. Entre as solicitações, o pedido de mais um acelerador linear para a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia da OSID, que realiza cerca de 11,5 mil atendimentos por mês para tratamento do câncer. 

O equipamento permite a realização da radioterapia junto aos pacientes oncológicos. Maria Rita solicitou ainda a contemplação da instituição, conforme anunciado pelo governo anterior, no Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi), que visa a melhoria do sistema de gestão dos hospitais SUS a partir de uma parceria com o Hospital Albert Einstein. 

A Osid abriga atualmente um dos maiores complexos de saúde 100% SUS do País, realizando 2,2 milhões de procedimentos ambulatoriais por ano somente em Salvador. Ainda na capital baiana, são atendidas diariamente cerca de 2 mil pessoas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas