Outubro promete dias de calor intenso em Salvador: 'estou derretendo'

salvador
07.10.2020, 15:31:00
Atualizado: 07.10.2020, 15:50:44
(Arisson Marinho/CORREIO)

Outubro promete dias de calor intenso em Salvador: 'estou derretendo'

Meteorologista explica causas do clima quente na cidade 'antes da hora'

Não é só papo de elevador ou fila de banco. É muito provável que a famosa frase "que calor, hein?" passe a ser cada vez mais ouvida pelos soteropolitanos. É que este mês de outubro promete dias muito quentes, segundo o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil de Salvador (Cemadec/Codesal). 

Pode separar as blusas sem manga, prender o cabelo e guardar aquela graninha extra para investir em um ventilador ou um ar-condicionado, porque o suor vem. "Eu não aguento mais sentir calor. Está insuportável, estou derretendo. Graças a Deus estou no home office, porque tenho trabalhado de top e cabelo preso. Abro a janela e não tem um ventinho. Nem o ventilador tá dando conta direito", desabafa a advogada Luiza Trindade, 31.

De acordo com o meteorologista do Cemadec Giuliano Carlos do Nascimento, tanto calor assim é normal nessa época do ano, quando há transição entre o Inverno e a Primavera, bem como a proximidade cada vez maior do Verão.

“Com isso, as massas de ar quente e seco que normalmente surgem sobre o continente favorecem o bloqueio atmosférico, impedindo a formação de nuvens e assim elevando as temperaturas”, disse Nascimento.

Diferente de agosto, quando o cacau caiu sem piedade, outubro deve ser um mês com poucos episódios de chuva. Segundo a previsão, a média deve se manter em 95,2 mm - esse índice é definido com base em um arquivo de dados meteorológicos de determinada região ao longo de 30 anos. 

Quando rolar uma chuvinha, não vai ser nada que atrapalhe o banho de sol no quintal de casa ou o passeio no calçadão. “Essas chuvas são mais frequentes durante a madrugada e no início da manhã, com intensidade fraca, mas não se descarta a possibilidade de chuvas com intensidade moderada. No entanto, essas precipitações costumam ser mais presentes nas regiões Sul e Sudeste do Brasil”, pontuou.

O publicitário Caio Junqueira, 28, mora em São Paulo e decidiu passar a quarentena em Salvador, com a família. A empresa onde trabalha deu uma pausa e os pequenos projetos que segue tocando podem ser feitos pelo computador. 

"Eu estava morrendo de saudade desse calor. Já tenho três meses em Salvador e estava todo dia usando cobertor felpudo, pantufa, nada a ver. Tava frio pra caramba em agosto e no começo de setembro. Agora eu me sinto derretendo, mas eu prefiro. Não curto me exercitar com tempo frio, bate aquela preguiça de sair da cama. Salvador já tá totalmente com cara de verão pra mim, que é minha estação favorita. Vai ser duro voltar, porque aqui tem praia, quando faz calor, ainda assim tem aquela brisa. Em São Paulo o calor é puro mormaço", brinca.

Os termômetros devem registrar temperaturas variando entre 23°C e 32°C em Salvador. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), coletados na estação meteorológica de Ondina, a temperatura máxima na cidade é de 33,5°C e a mínima é de 18,3°C - embora os baianos duvidem desse gelo todo.

Segundo o Climatempo, Salvador segue ensolarada e sem chuva pelo menos até domingo (11).

Xô, calor!
As praias de Amaralina, Cantagalo e Piatã mal reabriram e já tinha uma galera batendo ponto por lá na manhã desta quarta-feira (7). Os espaços estavam fechados porque banhistas não estavam obedecendo ao protocolo, que prevê uso de máscaras na areia e distanciamento entre as pessoas.

O movimento estava grande na praia de Amaralina, mas sem aglomerações. O CORREIO flagrou algumas pessoas sem máscara na faixa de areia, mas a maior parte das pessoas estava com o equipamento.

Praia de Amaralina estava cheia, mas banhistas respeitaram distanciamento
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas