Pagode Por Elas lança comunidade formativa para mulheres da música baiana

correio afro
22.11.2021, 17:22:00
Beatriz Almeida e Joyce Melo são fundadoras do Pagode Por Elas (Foto: Lane Silva/Divulgação)

Pagode Por Elas lança comunidade formativa para mulheres da música baiana

Plataforma tem como objetivo potencializar carreira de mulheres na música

Acelerar o crescimento e digitalização de projetos musicais femininos e baianos é o objetivo da plataforma Pagode por Elas ao lançar a comunidade “Som Por Elas”. 

Artistas e produtoras, de todos os gêneros musicais, podem se inscrever, a partir do dia 29 de novembro. Serão selecionadas 30 mulheres para acessar a oportunidade gratuitamente. As aulas e mentorias terão foco em gestão de carreira, monetização e comunicação na música. 

Som Por Elas é uma comunidade formativa, imersiva e interativa que pretende unir em um só lugar, conhecimento, networking e acesso a oportunidades. Neste primeiro ciclo, com objetivo de tornar o conhecimento democrático e acessível, o espaço de interação e cocriação apesar de multimídia, será baseado em um perfil fechado no instagram.

O ciclo formativa acontece de janeiro a fevereiro de 2022 e, no final, pelo menos um projeto receberá premiação em dinheiro. 

As aulas serão semanais, e além das aulas de abertura e fechamento com as fundadoras da Pagode Por Elas, Joyce Melo e Beatriz Almeida, haverão as seguintes aulas: 


“Primeiros Passos na Carreira Musical” conduzida pela RP, produtora e agente de carreiras artísticas, Ana GB; “Inteligência emocional para artistas” com a psicóloga Shirley Vasconcelos; “Como comunicar sua música nas redes sociais e na imprensa” com a assessora de imprensa e comunicação, Nerie Bento; e “Como ganhar dinheiro com a música”, com a pesquisadora e consultora em planejamento e gestão de carreira na música, Dani Ribas. 

“Queremos proporcionar uma experiência de aceleração de carreira para as mulheres da música. De acordo com a Associação Brasileira da Música Independente, 42% das empresas do Mercado brasileiro da Música Gravada, possuem apenas homens em seus quadros”, disse a executiva da Pagode Por Elas, Joyce Melo. 

Ainda de acordo com Joyce, essa realidade desigual precisa ser atacada para mudar as histórias de mulheres no pagode e construir o que classificou como uma nova década no estilo.

O projeto Som Por Elas da plataforma Pagode Por Elas foi selecionado por meio do Programa da UNIDAS – Rede de Mulheres entre a Alemanha, América Latina e Caribe, por duas unidades do Goethe-Institut, Salvador-Bahia e Santiago do Chile, e pelo Ministério Alemão das Relações Exteriores, que patrocina o projeto por meio do seu ministro Heiko Maas. Os resultados desse projeto serão apresentados no Chile, junto a outros projetos selecionados pelo programa.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas