Pai é preso acusado de dopar e estuprar filha até cinco vezes por dia

em alta
29.01.2020, 23:10:00
Atualizado: 29.01.2020, 23:10:09

Pai é preso acusado de dopar e estuprar filha até cinco vezes por dia

Vítima conta que era obrigada a tomar remédios; juiz de Cuiabá decretou prisão preventiva

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um homem de 45 anos preso em flagrante durante mais uma tentativa de estupro à filha de 17 anos em Cuiabá (MT), na segunda-feira (27), deve ficar preso por pelo menos mais 180 dias. As informações são do site O Livre.

O juiz Aristeu Dias Batista Vilella converteu em prisão preventiva a reclusão do pai acusado de dopar e estuprar filha durante cinco dias, dentro de casa, em um condomínio em Cuiabá. Os abusos, segundo os relatos da vítima, chegaram a ocorrer até cinco vezes durante um dia.

Durante parte dos abusos, ela conta que se via sem roupas, e via o pai sobre ela, além de sentir “fortes dores” nos genitais.
A decisão judicial foi tomada nessa terça-feira (28), em audiência de custódia.

Agora, o homem, que não teve a identidade divulgada, deverá ficar, inicialmente, 180 dias prisão enquanto seguem as investigações do caso.

Na decisão, o juiz Vilella disse que a conversão da prisão em flagrante para preventiva deve-se à segurança da vítima e à proximidade do suspeito à família, o que poderia interferir na condução do caso.

Gritos de socorro
No depoimento à Polícia Militar, a garota afirma que seu pai iniciou os estupros no dia 22 deste mês. Ela disse que foi forçada a tomar um remédio que a deixou sem os sentidos, recobrando a consciência algumas horas depois.

Relatou ainda “que os abusos aconteciam até cinco vezes por dia” e que não eram utilizados preservativos, conforme consta em boletim de ocorrência.

No depoimento, a garota estava acompanhada por uma pessoa que disse ter testemunhado uma das tentativas de estupro. Em depoimento, essa pessoa contou que ouviu gritos de socorro, vindo da casa vítima na última segunda-feira, pela manhã.

Em conversa posterior com a adolescente, a testemunha soube que o grito ocorreu no momento em que o pai teria tentado um novo estupro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas