Palco de guerra entre facções, Engenho Velho da Federação é ocupado pela polícia

salvador
15.07.2020, 08:11:00
Atualizado: 15.07.2020, 08:44:29
(Foto: Alberto Maraux/SSP)

Palco de guerra entre facções, Engenho Velho da Federação é ocupado pela polícia

Um traficante já foi preso no local na madrugada desta quarta-feira (15)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Palco de uma guerra entre as facções Comando da Paz (CP) e Bonde do Maluco (BDM), o bairro do Engenho Velho da Federação amanheceu nesta quarta-feira cheio de policiais. É que o bairro a partir de agora será ocupado pela polícia, assim como ocorreu com Sussuarana. Batalhão de Choque, Grupamento Aéreo (Graer) e Esquadrão Águia reforçarão, por tempo indeterminado, as ações preventivas e ostensivas nas localidades do Forno e Baixa da Égua.

(Foto: Alberto Maraux/SSP)

De acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP), a medida dá prosseguimento às ações de ocupação em localidades de Salvador que apresentam situações recorrentes de confrontos, denúncias de tráfico de drogas e disputas por pontos de venda de entorpecentes. 

O comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão, está no bairro do Engenho Velho da Federação iniciando as ações de reforço. Um traficante suspeito de homicídios no Engenho Velho da Federação foi preso no bairro na madrugada desta quarta-feira (15) pelas polícias Militar e Civil. Arma branca e drogas foram apreendidas com o criminoso.

As equipes faziam incursões na localidade do Beco da Rabada quando visualizaram um grupo suspeito. Foi promovido o cerco e o criminoso terminou capturado. Com ele foram apreendidos 3 kg de maconha, porção de cocaína, uma balança, uma faca e 276 reais em espécie.

"Na madrugada já capturamos um traficante suspeito de homicídios e permaneceremos na região, da mesma forma como fizemos em Sussuarana", declarou o comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão.

(Foto: Alberto Maraux/SSP)

Confrontos 
Na noite de segunda-feira (13), cerca de 20 homens do Comando da Paz (CP) invadiram a localidade da Mangueira e mataram Gilson do Carmo Moura, 20 anos. Segundo moradores, o rapaz seria integrante do grupo rival Bonde do Maluco (BDM). 

Nas redes sociais, circulam vídeos da ação dos bandidos. Um deles mostra a chegada de traficantes do CP à Mangueira. Em outra gravação, feita também por moradores, dá para ouvir o baralho dos tiros. Segundo a Polícia Civil, Gilson possuía uma passagem por tráfico de drogas. A autoria e motivação do crime são apuradas pela 1ª DH/Atlântico, unidade do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). 

A briga entre as duas organizações criminosas para assumir o controle do tráfico de drogas no Engenho Velho da Federação é antiga, mas se intensificou no dia 28 de junho quando quatro homens do Comando da Paz, facção que atua na localidade do Forno, entraram atirando nas ruas Xisto Bahia e das Palmeiras, conhecidas como Lajinha e Baixa da Égua, que são dominadas pelo BDM. Como resultado da ação, uma criança de 9 anos ficou ferida. O menino levou um tiro na perna e foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE) e já teve alta. 

Moradores cobram medidas mais efetivas da polícia, como a ocupação do bairro. “O Engenho Velho (da Federação) é divido em duas facções, BDM e CP, e isso vem deixando todo mundo apavorado. O policiamento existe, mas é feito na área principal, onde a viatura consegue chegar com facilidade. Tem becos que você entra na Vasco da Gama, próximo ao Bompreço, e vai sair lá em cima na Universidade Católica (Ucsal). Então, é difícil a topografia. Tem que ser uma operação para ficar dentro do bairro, senão vai continuar morrendo gente, não tem jeito”, declarou um morador entrevistado pelo CORREIO.

Pânico
Na manhã desta terça (14), o CORREIO ouviu moradores do bairro. Todos os depoimentos relataram o pavor e cobraram uma ação mais presencial da polícia.

“A população de bem está em pânico total. As pessoas não saem de casa. Para ir trabalhar é um trabalho danado. As autoridades deveriam dar uma reposta ao tráfico de drogas no bairro. Fazer uma operação e ficar vários dias no bairro para ver se segura a onda, caso contrário vai morrer é gente até esses caras tomarem a boca”, disse uma mulher. 

“A comunidade de bem pede mais atuação da polícia, com mais energia e ficar no bairro. Os caras do Nordeste de Amaralina, que são CP também, se juntam com os caras do Engenho Velho (da Federação) e formam um grupo de 30, 40 homens armados”, declarou um morador. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas