Papa lava e beija pés de presidiários em ritual da Quinta-feira Santa

mundo
18.04.2019, 16:00:00
Atualizado: 18.04.2019, 16:05:35
Ato celebra a humildade de Jesus perante seus apóstolos na noite anterior à sua morte (Foto: Handout/Vatican Media/AFP)

Papa lava e beija pés de presidiários em ritual da Quinta-feira Santa

Um dos homens que passaram pelo ritual era brasileiro

Nesta Quinta-feira Santa (18), o Papa Francisco lavou e  beijou os pés de 12 prisioneiros em um ritual tradicional em comemoração a esta data. De acordo com a agência de notícias Reuters, um dos homens que participaram da ação e brasileiro, mas não teve seu nome divulgado.

Papa lavando os pés de um dos prisioneiros (Foto: Handout/Vatican Media/AFP)

Durante o ritual, o pontífice disse a eles que evitem qualquer estrutura de hierarquia interna ou lei dos mais fortes e ajudem uns aos outros. Além do brasileiro, nove italianos, um marroquino e um marfinense tiveram os pés lavados. O Vaticano também não divulgou as religiões deles.

Desde 2013, quando iniciou seu papado, é a quinta vez que o Papa Francisco realiza esse gesto, que celebra a humildade de Jesus perante seus apóstolos na noite anterior à sua morte, quando, de acordo com a tradição Judaico-cristã, estava na cadeia.  

Francisco cumprimentando os guardas da prisão Velletri, em Roma, onde ocorreu a ação Foto: Handout/Vatican Media/AFP

Francisco quebrou com a tradição de seus antecessores: enquanto eles costumavam realizar o rito em uma das grandes basílicas de Roma, lavando os pés de 12 sacerdotes, o Papa transferiu-o para locais de confinamento, como prisões, centros de imigrantes ou casas de idosos. No passado, católicos conservadores criticaram o Papa por lavar os pés de mulheres e de presos muçulmanos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas