Pazuello desiste de comparecer à CPI da Covid

brasil
04.05.2021, 13:32:23
Atualizado: 04.05.2021, 13:46:36
(Reprodução)

Pazuello desiste de comparecer à CPI da Covid

Ex-ministro da Saúde teria tomado decisão ainda no final de semana em que participou de extensiva preparação para prestar o depoimento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello informou nesta terça-feira, 4, que está com suspeita de covid-19 e, por isso, não comparecerá presencialmente ao Senado para prestar depoimento aos integrantes da CPI da Covid. A fala do general está marcada para esta quarta-feira, 5.

"Ele teve contato com dois coronéis auxiliares dele nesse fim de semana que estão com covid. Segundo a informação que eu tenho, ele entrará em quarentena e não virá depor amanhã", disse o presidente da CPI, deputado Omar Aziz (PSD-AM), no início da sessão desta terça.

Após o anúncio de Aziz, o ex-ministro foi criticado porque, até então, desconsiderava recomendações sanitárias. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) lembrou que Pazuello foi flagrado na semana passada em um shopping de Manaus sem a máscara de proteção facial. "Ele anda sem máscara e não pode vir à CPI. Vai sem máscara para o shopping e não pode vir à CPI", reclamou a parlamentar.

O depoimento de Pazuello, que comandou a pasta de Saúde até março deste ano, é considerado um dos mais importantes pela comissão, que investiga erros e omissões do governo de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia.

Substituído pelo médico Marcelo Queiroga, Pazuello fez acusações graves ao deixar o Ministério da Saúde, admitindo até a existência de um esquema de corrupção na pasta. Os integrantes da comissão têm na manga uma série de omissões de Pazuello, que reputam terem sido responsáveis pelo agravamento da pandemia de coronavírus no Brasil.

Desistência planejada
O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello planejou com antecedência não compacer à CPI da Covid. A decisão do general ocorreu no final de semana, quando participou de um extenso media training de preparação para o depoimento perante senadores.

As informações são da coluna da jornalista Malu Gaspar no jornal O Globo. Segundo pessoas próximas ao ex-ministro, Pazuello estava muito tenso e preocupado com a possibilidade de ser preso logo após depor. 

O general teria tremido durante as sessões de treinamento, segundo testemunhas que preseciaram o acontecimento. Além disso, nos últimos dias, Pazuello teria apresentado oscilações de humor, motivadas pela crença de que o círculo próximo do presidente Jair Bolsonaro planeja abandoná-lo em algum momento.

O media training, que custou cerca de R$ 23 mil, foi visto como uma forma de o entorno do presidente demonstrar apoio ao ex-ministro. Durante a sessão, que durou quatro horas, Pazuello demonstrou complicações ao explicar a função de seu ex-assessor, Marcos Marques, conhecido como Markinhos Show, e os detalhes dos contratos que assinou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas