Pazuello diz que vacinação contra covid começa 'no dia D, na hora H'

coronavírus
11.01.2021, 18:06:00
Atualizado: 11.01.2021, 18:12:02
(Reprodução)

Pazuello diz que vacinação contra covid começa 'no dia D, na hora H'

Ministro diz que distribuição será simultânea entre todos os estados

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reafirmou nesta segunda-feira (11), ao visitar Manaus, que a vacinação no Brasil pode começar no dia 20 de janeiro. É uma previsão que o general já fez em outros momentos. Outros prazos já foram mencionados, como 10 de fevereiro e até o início de março. Uma fala do ministro repercurtiu nas redes sociais: ele afirmou que a vacinação vai começar "no dia D, na hora H".

“Todos os estados receberão simultaneamente as vacinas, no mesmo dia. A vacina vai começar no dia D, na hora H, no Brasil. No primeiro dia que a autorização for feita, a partir do terceiro ou quarto dia estará nos estados e municípios para iniciar a vacinação. A prioridade já está dada, é o Brasil todo. Vamos fazer como exemplo para o mundo. Os grupos prioritários já estão distribuídos”, afirmou.

“Os números já estão distribuídos pelas 3 hipóteses: 2 milhões, 6 milhões ou 8 milhões agora para janeiro. Sabe o que vai acontecer se forem 8 milhões? Nós vamos ser o país que mais vai vacinar no mundo, e quero ver o que vão dizer”, diz. A conta do ministro leva em conta 2 milhões de doses da vacina da Oxford/Astrozeneca, da Fiocruz, que vêm da Índia, e 6 milhões do Butantan. As duas já pediram aprovação para uso emergencial e aguardam resolução da Anvisa, que deve levar até 10 dias.

Pazuello voltou a minimizar o atraso do início da vacinação contra a covid-19 no Brasil. Segundo ele, a imunização acontece lentamente pelo mundo. “Somem quantas vacinas foram aplicadas no mundo. Sabe quanto dá? A cidade de São Paulo. Somando todas, China, Estados Unidos, Israel, tudo. Você imuniza uma grande cidade, o resto não. E a gente tem que ouvir que estamos atrasados porque a gente não comprou 500 mil doses da Pfizer com essas pequenas cláusulas?", disse.

Até agora, foram aplicadas 24,1 milhões de doses em todo mundo. Segundo levantamento do Our World in Data, China (9 milhões) e EUA (6,7 milhões) até aqui foram os que vacinaram mais. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas