Personal foi morta após reclamar de vizinha que a filmava com celular, diz PM

brasil
13.08.2020, 14:15:43
Atualizado: 13.08.2020, 14:23:49
(Reproduçaõ)

Personal foi morta após reclamar de vizinha que a filmava com celular, diz PM

Mulher que filmava não gostou e iniciou briga; jovem foi morta a facadas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A personal trainer Andressa Serantoni, 28 anos, foi morta depois de perguntar para a vizinha da mãe o motivo de estar sendo filmada com um celular, diz a Polícia Militar. Andressa foi atacada com golpes de faca e não resistiu aos ferimentos. O caso foi em São José do Rio Preto, em São Paulo.

O crime aconteceu na tarde da quarta (12). O casal Joel Fernandes Santos e Sidileide Normanha da Paixão Santos foi preso logo depois.

“A mulher (suspeita presa) passava filmando todos do bairro. Quando foi questionada (pela vítima) sobre o motivo, ela começou a briga. Posteriormente, chamou o marido, que veio com a faca”, explicou ao G1 o comandante do pelotão do 9º Batalhão de Ações Especiais da Polícia (BAEP), Felipe Guimarães Juvino.

Andressa tinha ido até a casa da mãe no início da tarde e logo se envolveu na confusão que acabou custando sua vida. Ela foi esfaqueada na calçada, repetidamente. O socorro foi chamado, mas ela morreu ainda no local.

Depois do crime, vizinhos indicaram a casa em que os dois suspeitos tinham se escondido. Os PMs pularam o muro e encontraram o casal.

“Foi necessário que arrombássemos a porta e começássemos a negociação para que eles pudessem sair. Depois de algum tempo conversando, eles saíram, se apresentaram e fizemos a busca pessoal, e a prisão dos autores”, explica o comandante.

Na casa estavam os quatro filhos dos suspeitos, que têm de 4 a 12 anos e foram conduzidos até o Conselho Tutelar. O PM conta que perguntaram ao casal o que motivou o crime, mas eles não quiseram falar. "Apenas disseram que era uma briga entre vizinhos".

Na delegacia, os suspeitos foram ouvidos e autuados por homicídio qualificado por motivo fútil.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas