Pesquisador brasileiro flagra botos brincando com anaconda na Bolívia

em alta
05.05.2022, 10:30:12
(Alejandro dos Rios/Divulgação)

Pesquisador brasileiro flagra botos brincando com anaconda na Bolívia

Um item lúdico, possivelmente de ensino

O pesquisador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Omar Machado Entiauspe Neto, de 24 anos, estava acompanhado de dois colegas quando registrou a interação de dois botos com uma anaconda em um rio da Bolívia. As imagens são de um estudo publicado pela revista científica "Ecology", dos Estados Unidos.

O biólogo é mestrando em Biologia Animal na UFRGS e trabalhou com os cientistas Steffen Reichle e Alejandro dos Rios, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

As imagens foram feitas no rio Tijamuchin, na região de Beni, próximo a Rondônia, em agosto de 2021.  As interações entre os botos e as cobras sucuris são consideradas difíceis de se observar.

Na análise, os pesquisadores afirmam que, possivelmente, a cobra já estava morta quando foi fotografada e que não serviria de alimento para os golfinhos.

"A gente sabe que os botos se alimentam de peixes e crustáceos, que são animais bem pequenos. Apesar de eles serem animais grandes, de até dois metros, o diâmetro da boca deles não permite que comam animais muito grandes", explica Omar ao g1.

Os botos, acreditam os cientistas, estavam brincando com o animal, como um item lúdico, possivelmente de ensino. O estudo aponta que futuras observações, análises da dieta dos golfinhos e armadilhas fotográficas podem ajudar a compreender o comportamento registrado no rio.

O jovem fez pesquisas na Bolívia, analisando serpentes conservadas em coleções no país vizinho. Atualmente em Pelotas, no Sul do estado, ele prossegue o estudo de seu mestrado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas