Petrobras apresenta planos para Bahia e Sergipe

donaldson gomes
13.12.2019, 05:32:00

Petrobras apresenta planos para Bahia e Sergipe


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Caminho traçado
O diretor executivo de relacionamento institucional da Petrobras, Roberto Ardenghy,  esteve esta semana em Sergipe e na Bahia com a missão de conversar com os governadores dos dois estados –  Belivaldo Chagas Silva e Rui Costa, respectivamente – a respeito do processo de vendas de ativos da empresa nos dois estados. Não é um assunto bom para nenhum governo, mas o papo foi positivo, garante Ardenghy. "Eles entenderam que está saindo uma empresa que não tem capacidade de investimento, dando lugar para outras que chegam com apetite para investir e ganhar mercado", compara. Na pauta, estiveram a venda da Refinaria Landulpho Alves e de poços em terra, além dos arrendamentos da Fafen e do Terminal de Regaseificação, passando ainda pelo enxugamento da estrutura administrativa no estado. 

Fafen
Segundo o diretor da Petrobras, os dois governadores defendem a necessidade de os ativos continuarem produzindo riquezas. "O caminho é o que aconteceu com a Fafen, que arrendamos para a Unigel. Nós tinhamos prejuízos diários lá. Nós não temos expertise em fazer fertilizantes, nosso negócio é produzir petróleo em águas profundas", diz. A unidade está sendo arrendada por dez anos. As unidades na Bahia e em Sergipe, que estavam em hibernação, devem voltam a operar em janeiro. 

Campos maduros
Roberto Ardenghy explicou que para a Petrobras a produção em terra se tornou inviável e que a prioridade da empresa é explorar o pré-sal. Enquanto os poços da bacia do Recôncavo produzem uma média de 27 barris por dia, um poço na nova fronteira de produção brasileira chega aos 70 mil barris por dia. "Nós gastamos US$ 5 para produzir um barril em águas profundas e US$ 23 para produzir em campos maduros", diz. Isso em um cenário de escassez financeira é insustentável, diz. A expectativa é que dentro de 120 dias, 35 das 78 concessões terrestres da Petrobras na Bahia estejam nas mãos de um novo operador. 

Refinaria
O diretor da Petrobras Roberto Ardenghy lembra que o processo de venda das refinarias atende uma determinação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), obrigando a empresa a vender 50% de sua estrutura de refino e os gasodutos. Segundo  o executivo, os grupos interessados na Rlam, tanto os nacionais quanto os internacionais  "tem bastante qualidade". Os nomes, explica, precisam ser mantidos em sigilo. Mas por que a Landulpho Alves, uma das maiores unidades da estatal foi colocada no pacote? "Ela está fora da logística do pré-sal que, quando você olha no mapa, está em frente ao Rio de Janeiro e São Paulo", diz. Segundo ele, a estrutura de refino do Sudeste é suficiente para processar a produção. 

Sem crise
A inauguração da terceira unidade do Atacadão na Região Metropolitana de Salvador (RMS), 17ª na Bahia, é um sinal claro de que o segmento atacadista passou longe do cenário de dificuldades recentes na economia nacional. No caso da rede em particular, a crise na economia teve até aspectos positivos, avalia o vice-presidente do Atacadão, Marco Oliveira. "No cenário de dificuldades, as pessoas buscam alternativas mais econômicas e o nosso modelo de negócios costuma representar uma alternativa competitiva", avalia. O Atacadão no Bonocô recebeu um investimento de R$ 65 milhões na montagem da estrutura, além de outros R$ 15 milhões no estoque inicial. A expectativa da rede é de iniciar a operação com aproximadamente 100 mil ticktes por mês, podendo chegar em breve aos 130 mil. 

Seguros
A seguradora Mongeral Aegon prepara um dos maiores eventos voltados para corretores de seguros para celebrar os 185 anos da empresa, no Rio de Janeiro. O MAGNEXT, que acontece de 9 a 11 de janeiro, já tem presenças confirmadas de nomes como a jogadora Marta, Ricardo Amorim e o medalhista olímpico e treinador, Bernardinho.

Shoppings
Até o fim de 2019, o fluxo de visitantes nos shoppings baianos do Grupo JCPM deve crescer 10% em relação ao ano passado. Já as vendas devem fechar com alta de 8%. “Este ano foi um período em que a economia passou por momentos promissores e, no caso do Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping, há uma perspectiva de se manter em uma curva ascendente”, avalia Fernando Rocha, Diretor de Operações Regional BA/SE do Grupo JCPM.

Verde amarelo
O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho vem a Salvador falar sobre o Programa de Emprego Verde Amarelo e seu impacto no Mundo do Trabalho. É quarta-feira (18), às 14h, na sede da Fieb, no Stiep.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas