PF prende quadrilha de venda de cocaína boliviana com conexão na Bahia

bahia
04.12.2019, 08:13:00
Atualizado: 04.12.2019, 09:29:03
(Foto: Divulgação)

PF prende quadrilha de venda de cocaína boliviana com conexão na Bahia

Na operação 15 aeronaves foram apreendidas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

 A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (4) a Operação Voo Baixo, para desarticular uma organização criminosa internacional especializada no tráfico de drogas, em São Paulo. O grupo era comandado por um empresário, que promovia a compra e distribuição de cocaína boliviana com conexões no interior da  Bahia. 

Estão sendo cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão. Os 46 mandados judiciais foram cumpridos nas cidades Araçatuba/SP (4), Campinas/SP (2), Dourado/SP (1), Guararapes/SP (1), Jaú/SP (1), Pereira Barreto/SP (3), Ribeirão Preto/SP (1), São José do Rio Preto/SP (8), São Paulo/SP (1), Vargem Grande Paulista/SP (1), Cassilândia/MS (2), Alcinópolis (1), Coxim/MS (3) e Três Lagoas/MS (2), Presidente Getúlio/SC (1) e Eunápolis/BA (1), em 4 diferentes Estados (SP, MS, BA e SC). Além dos mandados judiciais, foram realizadas apreensões de 15 aeronaves, bem como solicitado o sequestro de imóveis, dentre eles três fazendas.

O grupo criminoso era comandado por um suposto empresário do interior de São Paulo, que articulava a compra e o transporte aéreo da droga de traficantes bolivianos. Ele recebia a cocaína no Mato Grosso do Sul e a transportava por meio de aviões ao estado de São Paulo. Iniciada em maio de 2018, a ação da polícia federal resultou em apreensões que totalizam, aproximadamente, 2.6 toneladas de cocaína e na prisão de outras 11 pessoas.

Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas (artigo 33, parágrafo 1º, inciso I, da Lei 11.343/06) e associação para o tráfico de drogas (artigo 35 da mesma lei), com penas de 5 a 15 anos e multa e 03 a 10 anos e multa, respectivamente. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas