Pituba é o bairro mais procurado para comprar imóvel em Salvador; veja ranking

salvador
16.11.2019, 06:00:00

Pituba é o bairro mais procurado para comprar imóvel em Salvador; veja ranking

Brotas e Rio Vermelho completam primeiras posições da lista

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O que um dia já foi uma única fazenda, hoje é o bairro mais procurado de Salvador quando o assunto é compra de imóveis. Um levantamento feito pelo portal imobiliário ZAP analisou dados deste ano e coloca o bairro no primeiro lugar do ranking das dez localidades mais procuradas por quem quer comprar um novo imóvel.

Os motivos que tornam a região a primeira opção de muitos são unanimidade entre corretores e moradores. Quem mora por lá quer, sobretudo, praticidade. Ter por perto os principais serviços necessários no dia a dia torna a vida no bairro mais cômoda. Brotas e Rio Vermelho completam o trio de campeões das áreas mais procuradas.

A servidora aposentada Dalva Leite, 67 anos, busca justamente a praticidade. Natural de Feira de Santana, ela veio para Salvador em 1991 e nesses 28 anos nunca pensou em morar em outro lugar. “Quando cheguei, a Pituba já tinha uma boa referência. Como me mudei para que minhas filhas estudassem em um colégio melhor, escolhi a Pituba para morar perto das melhores escolas”, conta.

Nesses 28 anos, Dalva já se mudou três vezes, sem nunca sair do bairro. A última mudança ainda está sendo concluída, mas na hora de procurar um apartamento maior, a primeira exigência foi se manter na Pituba. “Não penso em sair daqui de jeito nenhum. Minha vida está toda organizada por aqui. Tenho tudo que preciso: farmácias, clínicas, fisioterapia, tudo perto”, detalhou.  

Placa de vende-se em rua da Pituba (Foto: Marina Silva/CORREIO)

 
Reunir todos os serviços essenciais em uma área próxima é, segundo os profissionais, o principal motivo que faz com que a Pituba esteja no topo do ranking. “Um bairro se torna muito atrativo pelo que ele tem. A Pituba é uma mini Salvador, concentra tudo de legal da cidade por um preço mais acessível para uma parte da população”, avalia Deborah Seabra, economista do grupo ZAP, que realizou o levantamento.

Para chegar aos dez bairros mais procurados, o grupo avaliou os dados de busca dos dois principais portais imobiliários do grupo: Zap Móveis e Vila Real que registram buscas tanto para aluguel quanto para compra de imóveis. Segundo a economista, a Pituba se torna atrativa por reunir, além das atrações, um valor mais acessível do que outras localidades parecidas. “Existe isso tudo em outros lugares, bairros, mas a preços bem mais altos”, explica.

Venda rápida
Por conta da procura, segundo os corretores, vender um imóvel na Pituba pode ser um pouco mais fácil. “Se o imóvel estiver sendo vendido pelo valor de mercado, com um ou dois meses no máximo, o proprietário consegue vender”, explica o corretor Marcos Vasconcelos. O profissional conta que em outros bairros, como Patamares, uma venda pode demorar pelo menos seis meses para se concretizar.

Marcos Vasconcelos (Foto: Marina Silva/CORREIO)

“A Pituba virou um bairro central da cidade. É um processo de ascensão que já vem acontecendo há um tempo, de forma natural. Conta muito, além de uma ótima infraestrutura, o fato de ser um bairro relativamente plano”, comentou o corretor José Alberto Vasconcelos, diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-Ba). O próprio José aproveitou o crescimento do bairro para escolher onde fixar a sede da sua empresa. “Eu funcionava no Rio Vermelho, mas via a Pituba crescendo, então resolvi investir e ter a minha sede própria por aqui”, comentou ele, que fez a mudança ainda em 1984.

Com vasta experiência no ramo, Alberto destaca detalhes da história do bairro que acabaram ajudando na transformação da região. “Foi por volta dos anos 80 que a Pituba começou a crescer. Historicamente era uma fazenda loteada, com uma residência por lote, era uma região com muitas casas. Quando foi autorizada a verticalização da região, era para onde a cidade podia crescer”, conta ele.

Quem acompanhou um pouco esse início de crescimento foi a advogada e servidora pública Geysa Mendes, 55 anos, que comprou um apartamento na região em 1988, e desde então, nunca se mudou. “Comprei o meu apartamento na planta, em uma rua deserta com uma ribanceira na frente. Eu, em pânico, meu marido adorando ficar escondido e, dois anos depois, quando mudamos, estávamos cercados de construções em volta. Hoje, somos o burburinho da Pituba, e eu continuo feliz”, lembrou.

Fazenda
A década de 80, justamente a época que Geysa adquiriu o apartamento, foi o momento em que o bairro começou a se consolidar. Até a década de 70, anos antes, famílias ainda usavam a região como área de veraneio. O planejamento da área como um bairro, no entanto, durou muitas décadas. 

O estudo Caminho das Águas em Salvador publicado em 2010 e coordenado pela professora Elisabete Santos, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), conta um pouco da história do bairro. “Até o fim do século XIX, a Fazenda Pituba, em sua porção litorânea, tinha um grande coqueiral com produção agrícola no seu interior e com pouca inserção no contexto urbano da cidade de Salvador”, diz o livro.

“Mesmo na década 1950, depois da construção da Igreja Nossa Senhora da Luz, substituindo a capela local (existente desde o século XVII), e do início das obras do Colégio Militar, em 1958, o bairro ainda tinha a configuração de um vasto campo. Foi na década de 1960 que a Pituba realmente se inseriu no contexto urbano da cidade. Em 1960, através da Lei 1.038, tornou-se bairro do subdistrito de Amaralina. Em 1965, foi feita a pavimentação da Avenida Paulo VI e em 1968 foi construída a Avenida Antônio Carlos Magalhães e o logradouro que hoje é a Avenida Tancredo Neves”, detalha o estudo.

O livro conta, ainda, a origem da palavra Pituba, que vem do tupi e quer dizer brisa, sopro, hálito, bafo. "Além de substantivo, Pituba também pode ser um verbotransitivo, e neste este caso significa: untar, tingir, ou estranhamente, cansar, resfolegar", completa a pesquisa.

Atualmente, um dos principais bairros da cidade, a Pituba conta com 168 logradouros (ruas) oficiais, segundo informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur). A população da região, diante de tanta procura, vem crescendo. No censo do IBGE divulgado em 2000, eram 12 habitantes por km quadrado. Na última edição do mesmo levantamento, em 2010, o número já era de 14 por km quadrado.

Foto: Marina Silva/CORREIO

Alugar x comprar
Para o economista e educador financeiro Edísio Freire, aluguel é sempre a melhor opção, financeiramente falando.

Quem quer comprar um imóvel que vale R$ 300 mil, por exemplo, dá de entrada 50 mil e tem de financiar o resto e ficar com parcelas de R$ 2.700. Um aluguel de imóvel do mesmo valor gira em torno de R$ 1.300 mensais. A diferença entre a prestação do financiamento e o aluguel, aplicada em 10 anos, resulta no valor para comprar um imóvel à vista.

Ainda segundo Edísio Freire, o que torna a compra a melhor opção são aspectos comportamentais. Uma pessoa que tem um perfil mais consumista, por exemplo, deve aproveitar a compra se tiver uma quantia suficiente em mãos. O objetivo é que o valor fique investido em um bem, garantindo um patrimônio.


10 PASSOS PARA COMPRAR UM IMÓVEL COM SEGURANÇA*

1. BOA ASSESSORIA - Isso vai livrar de um mundo de problemas, com documentação, preço, o corretor está a par do mercado e a pessoa leiga nao sabe, sem pesquisar, o valor de um apartamento.

2. DEFINIR LOCALIZAÇÃO - Escolher o bairro para poder começar a pesquisa e ser mais efetivo

3. DEFINIR SEU POTENCIAL - Quanto se pode gastar é uma definição importante para dar início a busca

4. DEFINIR MODALIDADE DE PAGAMENTO - Saber como pode pagar, se a vista, se vai financiar, se depende da venda do apartamento antigo, também é necessário para otimizar as buscas.

5. SER ESPECÍFICO NA ESCOLHA - Saiba os detalhes do apartamento ou casa que procura. Todas essas dicas são importantes para otimizar a busca e torna o processo de compra mais rápido. Desejo por um determinado cômodo maior pode direcionar as buscas por exemplo.

6. VISITE MAIS DE UMA VEZ   - É importante  ir ao local escolhido mais de uma vez antes da compra, visitar em diferentes momentos do dia e de noite, para estar mais seguro da escolha.

7. VIZINHANÇA - Importante conhecer a infraestrutura do local, saber quais serviços ele tem por perto e se isso atende as suas necessidades mais cotidianas

8.  REGRAS DO LOCAL - No caso de condomínios, é preciso saber das regras: se animais de estimação são aceitos, regras de recebimento de visitantes, de uso das áreas comuns, tudo isso antes de fechar a compra.

9. CONVERSE COM O SÍNDICO - Se possível, entender a realidade do condomínio, também em sua situação financeira,  para evitar dores de cabeça no futuro.

10. ANÁLISE DE DOCUMENTAÇÃO - Com a ajuda do profissional, analise toda a documentação de imóvel, para garantir que ele está livre de impedimentos para ser vendido. 

* Dicas do corretor José Alberto Vasconcelos


RANKING E VALORES  DE ALUGUEL E COMPRA 

Aluguel 

BAIRRO VALOR MÉDIO (preço cheio)
Pituba R$ 1.600
Brotas R$ 951
Ímbui R$ 1.300
Barra R$ 1.600
Caminho das Árvores R$ 1.845
Federação R$ 1.073
Graça R$ 2.000
Rio Vermelho R$ 1.400
Costa Azul R$ 1.165
10º Itaigara R$ 2.300


Venda 


BAIRRO VALOR MÉDIO (preço por m²)
Pituba R$ 5.000
Brotas R$ 5.664
Rio Vermelho R$ 5.786
Graça R$ 5.591
Caminho das Árvores R$ 5.632
Ímbui R$ 4.571
Patamares R$ 6.173
Costa Azul R$ 3.824
Barra R$ 6.525
10º Cabula R$ 4.868

* Rankings criados a partir dos dados de busca dos portais imobiliários do Grupo Zap 
** Com orientação do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas