PM faz operação após cinco mortes em uma semana em Sussuarana

salvador
27.04.2020, 14:52:00
Atualizado: 27.04.2020, 19:27:05

PM faz operação após cinco mortes em uma semana em Sussuarana

Incursões seguem durante a tarde com apoio da Rondesp

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Viaturas do Batalhão de Choque no final de linha de Sussuarana (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Com cinco mortes registradas na semana passada, sendo um caso de triplo homicídio e outro de duplo homicídio, o bairro de Sussuarana, em Salvador, foi alvo de uma operação da Polícia Militar que começou na manhã desta segunda-feira (27). Unidades da 48ª Companhia Independente, do Batalhão de Choque e das Rondas Especiais (Rondesp) foram designadas para capturar bandidos ligados às facções Bonde do Maluco (BDM) e Comando da Paz (CP), além do grupo Tropa do A – todos controlam o tráfico de drogas em Sussuarana, Nova Sussuarana e adjacências.

“São criminosos já conhecidos, são 'vezeiros' em suas ações e por isso têm fama no mundo do crime. Eles todos foram mapeados pela nossa investigação. Acreditamos que as mortes recentes estão relacionas com esses traficantes”, declarou o major Jailton Carvalho, comandante da 48ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Sussuarana). Segundo o major, pelo menos dez nomes estão na lista dos policiais. 

Em relação aos casos de assassinatos, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) ressaltou por meio de nota que “80% das mortes têm ligação com o tráfico de drogas". "A pasta analisa se os casos possuem relação com a recente soltura de aproximadamente 2 mil detentos do sistema prisional, por conta da pandemia do covid-19. Sobre as mortes de mulheres, a maioria das ocorrências também têm relação com o comércio de droga”, diz a nota.

A operação conta com 120 PMs e tem etapas. A primeira aconteceu logo cedo, por volta das 7h. Equipes do Batalhão de Choque estavam concentradas nos finais de Sussuarana e Sussuanara Nova, enquanto viaturas de 48ª CIMP faziam abordagens nas ruas.

“Acho válido, desde quando a polícia realmente pegue os criminosos”, disse uma dona de casa. “Também sou a favor, mas sempre nessas ações tem uma bala perdida que acha um inocente e nunca a culpa é da polícia, mesmo quando chega atirando“, emendou uma outra senhora.  Uma ação maior será realizada à tarde, a partir das 14h, quando serão realizadas incursões com o reforço da Rondesp. 

Mortes
O caso mais recente das mortes aconteceu na última quinta-feira (23), quando dois jovens, de 17 e 19 anos, foram mortos a tiros dentro de uma casa na 1ª Travessa Rubens Zardival. Na madrugada do dia 23, Laércio da Conceição Galo e Felipe Conceição Carmo dormiam quando bandidos arrombaram a porta.  “O pai de um deles estava no local e falou informalmente que o filho tinha envolvimento com o tráfico”, contou o major Jailton. 

O outro caso foi registrado no feriado de Tiradentes (21). Os corpos de três jovens foram encontrados dentro de um carro, na Avenida Gal Costa. Duas vítimas foram encontradas no porta-malas, enquanto o corpo do terceiro jovem estava no banco traseiro do carro, modelo Chevrolet/Celta, de cor prata. Todos estavam com as mãos algemadas e amarradas.

De acordo com o boletim de ocorrência da Secretaria de Segurança Pública, duas vítimas foram identificadas como Fernando Nascimento Lemos, 20 anos, e Davi Neves Portela, 23. O terceiro não havia sido identificado. “O que sabemos até então é que os três eram da cidade e Santo Amaro da Purificação, no recôncavo, e foram para Pirajá, onde foram sequestrados por homens ainda não identificados e executados na Avenida Gal Costa”, contou o major Jailton. 

Em resposta ao CORREIO, a Polícia Civil afirmou que as investigações estão em curso, mas, por enquanto, não é possível divulgar detales para não interferir no andamento das apurações.

Isolamento
O major Jailton aproveitou para falar sobre a questão do isolamento nos finais de semana em Sussuarana. Segundo ele, a todo momento, unidades da 48ª CIPM são acionadas para conter festas de paredão. “E não são poucas. Todo o final de semana é assim. A gente vai lá, acaba, apreende o carro, o dono é multado, mas basta as equipes saírem para começar tudo de novo é um problema sério. As pessoas não estão nem aí com o risco da pandemia”, disse. 

De acordo com ele, bares estão funcionando normalmente. “A gente vai lá, fecha, mas de nada adianta. As pessoas compram as bebidas e ficam consumindo na rua ao lado de uma caixa de isopor. Fica difícil combater um inimigo invisível desta forma”, lamentou.   

Facções 
Os bairros de Sussuarana e Nova Sussuarana estão sob o controle de três grupos criminosos. Segundo fontes da SSP, o primeiro é BDM, tida pela polícia como a maior facção da atualidade na Bahia, devido a forma de como executa seus desafetos – na maioria das vezes as vítimas são torturadas e depois mortas por fuzilamento ou decapitação e têm suas execuções expostas nas redes sociais – e pelas ramificações no território baiano. 

Com a morte de Zé de Lessa, fundador do grupo criminoso, Cristiano da Silva Moreira assumiu a liderança da facção. E não foi à toa. Ele é o “Ás de Ouros” do Baralho do Crime e tem no currículo vários ataques a instituições financeiras, diversos homicídios, entre eles a morte de um policial militar e uma chacina, além de comandar e também participar de ofensivas contra facções rivais como a Comando da Paz (CP) e a recente Ordem e Progresso (OP) – na maioria dos ataques o resultado não foi diferente: opositores foram executados sumariamente. 

Apesar de dominar o Complexo do Nordeste de Amaralina – formado pelos bairros de Nordeste de Amaralina, Santa Cruz, Vale das Pedrinhas e Chapada do Rio Vermelho –, o Comando da Paz (CP) tem integrantes pulverizados em Sussuarana que tentam se manter diante do exército maior do BDM. A resistência tem contado com o reforço da tropa de Val Bandeira, uma das lideranças da CP e que comando o tráfico no complexo. 

Já a Tropa do A é um grupo independente que vem se aproximando do BDM como medida de sobrevivência.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas