PM que morreu após treinamento do Bope sobreviveu a grave acidente em 2017

salvador
02.08.2018, 18:43:00
Atualizado: 02.08.2018, 20:59:10

PM que morreu após treinamento do Bope sobreviveu a grave acidente em 2017

'Um sonhador', diz amiga de soldado durante sepultamento em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O policial militar Rafael Tourinho de Aragão, 32 anos, sobreviveu a um acidente de moto grave que sofreu junto com a namorada em março de 2017, quando foi arremessado a uma distância de cerca de 10 metros. Na sexta-feira (27), no entanto, não teve a mesma sorte. 

O soldado sofreu uma parada cardíaca após passar mal durante um treinamento para entrar no Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope), em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador, e acabou morrendo nesta quinta-feira (2) - quando foi atestada a morte cerebral do PM. O sepultamento ocorreu esta tarde, no Cemitério Bosque da Paz, em Salvador, sob salva de tiros.

Foto: Tailane Muniz/CORREIO

Cerca de 150 pessoas, sendo a maioria policiais militares de diversas companhias, incluindo o 18° Batalhão (Centro Histórico), onde o militar era lotado, e tropas especializadas como Bope e Choque, participaram do enterro. Os policiais presentes não quiseram falar com a imprensa.

De acordo com uma amiga que formou junto com Rafael na turma da PM há 18 anos, o rapaz sonhava entrar para o Bope.

"Ele era uma pessoa bastante focada no que queria, era um sonhador e fará falta para a corporação", disse, sem se identificar. Ainda segundo a amiga, o soldado não tinha filhos e não era casado.

Internado no Hospital do Subúrbio desde então, o estado de saúde do PM se agravou e, na terça (31), a equipe médica abriu um relatório para apurar a suspeita de morte cerebral, o que foi constatada nesta quinta.

Uma amiga da família, que também não quis se identificar, disse que a família do rapaz é evangélica e estava otimista com o treinamento para ingresso no Bope.

"Depois do acidente que ele sofreu ano passado, todo mundo ficou perplexo com essa morte repentina. Na época, ele foi arremessado, junto com a namorada, mas não sofreu qualquer ferimento. É realmente uma lástima", relatou.

A namorada de Rafael esteve presente no enterro, assim como a mãe e outros familiares, mas ninguém quis comentar o assunto.

Foto: Tailane Muniz/CORREIO

Atividade na piscina
Rafael estava na piscina, realizando uma atividade aquática, quando passou mal. De acordo com informações da assessoria da PM, a máscara de mergulho que Rafael usava alagou quando ele estava na piscina.

"Ele foi atendido por equipe médica e transportado por uma aeronave do Grupamento Aéreo (Graer) até o hospital", informou a nota.

Rafael entrou na polícia em 2013 e fazia um curso de duração de cinco meses. A atividade que ele fazia pertencia ao módulo de operações aquáticas, que é composto por exercícios e provas para que o aluno consiga demonstrar domínio na flutuação, apneia estática e dinâmica, natação utilitária, salvamento aquático, entre outros. Todas as etapas são acompanhadas passo a passo pelo instrutor e por uma equipe médica.

Na atividade de mergulho, os alunos utilizam a máscara e são preparados, inclusive, para agir em situações de máscara alagada, ou seja, quando entra água no equipamento. A instrução faz o treinamento em ambiente controlado para que o aluno não entre em pânico caso aconteça esse tipo de situação. Ainda segundo a assessoria, as atividades do curso envolvem "alto risco de complexidade".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas