Poça de lama alaga trecho da avenida ACM; trânsito é interditado

salvador
18.04.2018, 09:09:00
Atualizado: 18.04.2018, 15:40:07
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Poça de lama alaga trecho da avenida ACM; trânsito é interditado

Há pontos congestionados e lentos na Avenida Paralela sentido rodoviária até Alphaville em razão de alagamento na Av. ACM

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem precisa trafegar pela região do Iguatemi na manhã desta quarta-feira (18) precisa ter paciência. O trânsito da Via Expressa Paralela-ACM está sendo desviado para a via principal em razão de alagamento no acesso ao Viaduto Raul Seixas. A chuva jogou terra para a pista que precisou ser interditada pela Transalvador.  Antes da interdição apenas um veículo estava passando por vez pela poça de lama, que foi gerada pelos dejetos de obras do sistema do metrô. 

Há também, segundo a Transalvador, em função do alagamento, pontos congestionados e lentos na Avenida Paralela sentido rodoviária até Alphaville em razão de alagamento na Av. ACM, acesso ao Viaduto Raul Seixas.

(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Desde cedo, muitos motoristas estão passando por sufoco. Foi o caso do comerciante Miguel Teles, 43 anos, e sua esposa, Joseane Fonseca, 32. Eles tentavam passar pela poça quando o carro parou de funcionar, por volta de 6h30. “Passamos pela primeira poça e, quando vimos mais água na frente, ele (Miguel) disse que não ia tentar passar para evitar algum problema com o carro. Paramos o carro, só que aí não ligou mais”, conta Joseane. 

O carro do comerciante Miguel foi um dos que parou de funcionar (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Os dois vinham de São Cristóvão em direção à Igreja Universal do Reino de Deus que fica na região do Iguatemi. O automóvel do casal precisou ser guinchado pela Transalvador. Pelo menos outros dois motoristas tiveram problemas com seus veículos. “Uma pessoa que estava atrás da gente também passou por isso e o guincho deixou a gente perto do Shopping da Bahia para voltar e pegar outro carro”. 

Em nota, a CCR Metrô Bahia afirmou que investiga se as obras do metrô estão relacionadas à poça.

O carro da enfermeira Tânia Moro, 41, foi um dos afetados (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Prejuízos
A Defesa Civil de Salvador (Codesal) informou que, até as 15h30, o órgão tinha recebido 107 ocorrências. Foram seis alagamentos de área, 13 alagamentos de imóvel, 26 ameaças de desabamento de imóvel, uma ameaça de desabamento de muro, 33 ameaças de deslizamento de terra, cinco ameaças de queda de árvore, uma árvore caída, quatro avaliações de imóvel alagado, 13 deslizamentos de terra, um incêndio e quatro orientações técnicas. Não há registro de feridos.

O bairro com maior número de solicitações foi São Marcos, com 26 chamados. A Codesal permanece com o plantão 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.

Confira o posicionamento na íntegra da CCR Metrô Bahia: 
A CCR Metrô Bahia informa que está investigando se há correlação entre obras realizadas por ela na região e obstrução de caixa de drenagem pluvial instalada no trecho da via próximo ao viaduto Raul Seixas, altura da Estação Rodoviária de Metrô.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas