Polícia do Rio investiga desaparecimento de restos mortais de Garrincha

brasil
01.06.2017, 21:30:00

Polícia do Rio investiga desaparecimento de restos mortais de Garrincha

A pena para o crime de violação de sepultura é de um a três anos de prisão
Garrincha encantou o mundo com seus dribles desconcertantes
(Foto: Arquivo CORREIO)

A polícia civil do Rio abriu inquérito para apurar se houve crime de violação de sepultura, e se os restos mortais do ex-jogador de futebol Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, sumiram do Cemitério de Raiz da Serra, no município de Magé, Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

A responsabilidade pelas investigações é da delegacia policial de Piabetá, em Magé, que iniciou o processo após a divulgação de notícias do possível desaparecimento dos restos mortais do ex-atleta. 

De acordo com o delegado Antônio Silvino Teixeira, titular da unidade que vai comandar o inquérito, a pena para o crime de violação de sepultura é de um a três anos de prisão. 

O corpo do ex-jogador foi enterrado em janeiro de 1983 no jazigo da família, na parte baixa do cemitério de Raiz da Serra.

Há dúvida, no entanto, se a ossada teria sido transferida para um outro túmulo, quando foi construído um memorial para homenagear Garrincha.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas