Polícia do Rio investiga se morte de rapaz foi provocada por PMs

brasil
08.05.2022, 12:03:00
(Reprodução)

Polícia do Rio investiga se morte de rapaz foi provocada por PMs

Ruan do Nascimento, de 27 anos, tinha deficiência intelectual

A morte de um rapaz, na comunidade da Barreira do Vasco, está sendo investigada pela Delegacia de Homicídios da capital. O objetivo é determinar a dinâmica dos fatos e se houve participação direta de policiais militares do serviço reservado na ocorrência.

Ruan do Nascimento, de 27 anos, foi baleado na noite de sexta-feira (6) quando ia ao barbeiro. Segundo a família, ele tinha deficiência intelectual. Moradores relataram que um carro descaracterizado, com policiais militares à paisana, estava na cena do crime, quando houve o disparo que atingiu Ruan.

“A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) instaurou inquérito para apurar o caso. Os policiais militares foram ouvidos e tiveram as armas recolhidas para perícia. Diligências estão em andamento para esclarecer todos os fatos”, informou a Polícia Civil.

A Polícia Militar também se manifestou, por meio de nota, confirmando que policiais haviam ido ao local onde o rapaz foi atingido alegando existir um confronto na região. No local, eles encontraram um homem ferido, que foi transportado para o Hospital Municipal Souza Aguiar.

“A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que policiais militares do 4ºBPM (São Cristóvão) relataram terem ido verificar local de comercialização ilegal de cobre na localidade do Café, próximo da comunidade Barreira do Vasco, em São Cristóvão, na noite de sexta-feira (6), onde ocorreu confronto durante a checagem”, informou a PM.

Na mesma nota, a corporação disse que houve apreensão de uma granada, um rádio comunicador e 240 papelotes de crack.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas