Polícia encontra tubarão e cobras em casa de amigo de estudante picado por naja

brasil
11.07.2020, 16:46:00
Atualizado: 11.07.2020, 16:48:55

Polícia encontra tubarão e cobras em casa de amigo de estudante picado por naja

Criadouro ilegal também foi descoberto em Brasília

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um criadouro ilegal de animais exóticos foi localizado dentro de uma casa, no Distrito Federal. Na residência, havia um tubarão-lixa, ameaçada de extinção. O caso pode ter relação com o do estudante de veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul, picado por uma cobra naja que criava, sem autorização legal. Ele está internado e apresentou necrose nos braços e lesões no coração.

Os policiais chegaram ao local depois de uma denúncia anônima. Segundo o jornal Correio Braziliense, a casa onde o animal estava é de um dos amigos do estudante, apontado pela polícia como dono de outras 16 cobras exóticas criadas ilegalmente. O nome dele não foi divulgado. No criadouro, além do tubarão, foram encontrados outros animais aquáticos, cobras e aves.

O estudante de veterinária picado pela naja fazia parte de um grupo voltado para jovens da classe alta que comercializava e estudava animais exóticos, de acordo com o Batalhão da Polícia Militar Ambiental do Distrito Federal.

O delegado Ricardo Bispo, da 14ª Delegacia de Polícia Civil, contou ao UOL que existe a suspeita de que mais serpentes exóticas do estudante estejam escondidas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas