Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra deputados do RJ

brasil
08.11.2018, 07:00:00
Atualizado: 08.11.2018, 09:22:23
Mandados estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira (Divulgação/Polícia Federal)

Polícia Federal cumpre mandados de prisão contra deputados do RJ

São 10 mandados de prisão para os parlamentares do Rio de Janeiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã desta quinta-feira (8) no Rio de Janeiro que tem como alvos deputados estaduais ligados ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB). Ele está prso há quase dois anos.

A força-tarefa da Lava Jato visa cumprir 22 mandados de prisão, destes, 10 são para deputados estaduais do RJ. Já foram cumpridos mandados contra Jorge Picciani (MDB), deputado afastado (já em prisão domiciliar); Paulo Melo (MDB), deputado afastado (já preso em Bangu); Edson Albertassi (MDB), deputado afastado (já preso em Bangu); Chiquinho da Mangueira (PSC), deputado estadual, preso na Barra.

Também são alvos da operação Affonso Monnerat, secretário estadual de governo; André Correa (DEM), deputado estadual e ex-secretário estadual de Meio Ambiente; Leonardo Jacob, presidente do Detran; Vinícius Farah (MDB), ex-presidente do Detran, eleito deputado federal; Coronel Jairo (MDB), deputado estadual não reeleito; Luiz Martins (PDT), deputado estadual reeleit e Marcus Vinícius Neskau (PTB), deputado estadual reeleito.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Palácio Guanabara, sede do Executivo Fluminense, e no anexo da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

De acordo com as investigações, o ex-governador Cabral pagava propina aos deputados estaduais para que eles patrocinassem interesses do grupo criminoso na Alerj. O dinheiro era resultado de sobrepreço de contratos estaduais e federais.  Os parlamentares também eram beneficiados com o loteamento de cargos em diversos órgãos públicos do Estado, onde poderiam alocar mão de obra comissionada ou terceirizada.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas