Portos baianos encerram 2021 com queda de 6,49% na movimentação

donaldson gomes
04.02.2022, 05:00:00

Portos baianos encerram 2021 com queda de 6,49% na movimentação

Alerta no cais
Após atingirem uma movimentação de 41,2 milhões de toneladas em 2020, os portos baianos registraram uma queda de 6,49% na movimentação registrada em 2021. No ano passado foram movimentadas 38,5 milhões de toneladas, de acordo com o Anuário Estatístico da Antaq, divulgado na última quarta-feira. Isso apesar do crescimento nas movimentações de Aratu (20,58%), Salvador (7,9%), Ilhéus e do Terminal de Regaseificação – esses últimos com expressivas altas, de 44,24% e 66,5%, respectivamente. O Temadre, com queda de quase 16%, foi decisivo para o resultado negativo, uma vez que responde por quase metade da movimentação no estado. Mas a ele ainda se somaram outros terminais, como Cotegipe, que teve queda de 5,62% e o Miguel de Oliveira, que movimentava as cargas da Ford e, com a saída da empresa em janeiro passado, teve a movimentação reduzida a quase zero.

Longo curso
O que encerrou o ano em alta foi a navegação de longo curso (com escalas em mais de um país), que cresceu 23,41% em 2021, com destaques para a movimentação de combustíveis, contêineres e fertilizantes. Outro produto que chama a atenção, pelo tamanho do crescimento, é o minério de ferro. Foram apenas 71,7 mil toneladas – pouco diante do potencial que a Bahia possui. Mas isso representou um crescimento de expressivos 40,441%.

Só fez crescer
Só Minas Gerais, um estado que tem mineração no nome, superou o crescimento da Bahia na atividade em 2021. Por aqui a produção de riquezas minerais cresceu 67%, contra 87% do estado vizinho, de acordo com dados do Ibram. De modo geral, o desempenho da atividade no país foi positivo, com média de 62%. A mineração baiana faturou R$ 9,5 bilhões e recolheu R$ 175,2 milhões em CFEM, os royalties pagos pela atividade. No ano passado, 183 municípios foram beneficiados com recursos da CFEM. Proporcionalmente, a contribuição representa em torno de 10% do total de tributos pagos pela atividade, o que indica uma contribuição bem maior.

Roubo de trilhos
A CBPM questionou a ANTT em relação a providências quanto ao furto de trilhos da FCA em Alagoinhas. Para o presidente da CBPM, Antonio Carlos Tramm o incidente é uma demonstração do “descaso da concessionária VLI Multimodal” com o trecho baiano da ferrovia.

Riscos Cibernéticos 
De janeiro a novembro de 2021, a expansão da carteira de seguro para Riscos Cibernéticos na Bahia no estado foi de 511%, mais de três vezes acima da média nacional (151%). Embora ainda pequeno, o mercado atrai cada vez mais a procura de setores como varejo, energia elétrica e saúde. Os megavazamentos de dados no Brasil e os ataques de hackers a empresas e órgãos públicos acenderam a luz vermelha no setor privado. Nos primeiros 11 meses do ano passado, a carteira respondeu por uma arrecadação nacional de R$ 91 milhões em prêmios, de acordo com dados da Susep (Superintendência de Seguros Privados). Este total equivale ao dobro dos prêmios arrecadados ao longo de todo o ano de 2020. De acordo com João Fontes, membro da Subcomissão de Linhas Financeiras da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), a perspectiva é se manter este ritmo de crescimento, o que deve ser atribuído a dois fatores: às constantes tentativas de invasão de sistemas e à vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que obriga as empresas a notificarem eventuais violações de dados, sob pena de sofrerem sanções por parte da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

Expansão acelerada
A SoftX firmou parceria com a V.tal, detentora da maior infraestrutura de fibra ótica do país e primeira empresa de rede neutra – que pode ser compartilhada com múltiplas operadoras. A expectativa da empresa é atingir 60.000 clientes no período de três anos, e a longo prazo, dentro 10 anos, alcançar 100 mil. A rede da V.tal chega a mais de 14 milhões de domicílios disponíveis para contratação do serviço de internet por fibra óptica (HPs, na sigla em inglês) em 2.300 cidades em todo território nacional por meio de cerca de 400 mil quilômetros de fibra ótica. A empresa tem um plano de investimento da ordem de R$ 30 bilhões até 2025 para expandir sua rede já existente em todas as regiões do país.

Combnação de negócios
A Solar Bebidas S.A., segunda maior fabricante e engarrafadora do Sistema Coca-Cola no Brasil, anunciou ontem a conclusão do processo de combinação de negócios com a divisão de bebidas do Grupo Simões, consolidando sua posição de segundo maior engarrafador do Brasil e passando a ocupar a 13ª posição no sistema global de fabricantes da Coca-Cola. O acordo havia sido anunciado pelas empresas em julho de 2021 e foram cumpridas todas as etapas e requisitos para a conclusão da transação. A partir do fechamento, a Solar passa a atuar em uma área que representa cerca de 70% do território brasileiro, operando na totalidade das regiões Norte, Nordeste, Estado do Mato Grosso e parte de Goiás e Tocantins. A operação conta com 13 fábricas, 44 centros de distribuição, cerca de 15 mil colaboradores e atende aproximadamente 400 mil pontos de venda e um faturamento bruto em 2021 cerca de R$9,8 bilhões. 

Crescimento 
A Audens Group, que concluiu o primeiro ano de Bahia em 2021, registrou um aumento no portfólio de clientes em cerca de 60%. A expectativa é de um crescimento de 120% até o início de 2023. De acordo com Gabriel Falcão, Associado à frente da operação local, este primeiro ano configurou o início do que continuará a ser construído em 2022. A holding oferece soluções especializadas em recrutamento e seleção de profissionais, foi fundada em Recife no ano de 2015, e apresenta forte atuação junto a companhias nacionais e multinacionais, dos mais diversos portes. Hoje a Audens atende uma vasta cartela de clientes em Salvador e já tem atuação nas cidades de Feira de Santana, Luís Eduardo e Alagoinhas.

Novas operações
O Shopping Barra ampliou o mix de grandes marcas, inaugurando recentemente mais de 20 novas operações. Para a casa, a loja First Class, especializada em roupas de cama, mesa e banho; e a Empório Essenza, de aromatizantes. A loja Alecrim Presentes inaugurou não só uma loja como um quiosque no shopping. O segmento fashion recebeu a loja Batô Batô e Luana Rodrigues, de moda feminina; a marca Lupo abriu mais uma unidade e a Trifil lançou a sua loja. Para os pés, a Usaflex, unindo estilo e conforto. E para abrilhantar o look, a marca baiana We Love Joias e os quiosques de peças em prata, com a Yah e a Acium. No segmento infantil, quem desembarcou foi A Fábula – irmã caçula da Farm; assim como a marca de pelúcias Criamigos, e o espaço de diversão Planeta Imaginário. Entre as novas operações, estão também a Login, a Comunicare - de aparelhos auditivos, e a loja de instrumentos musicais Urban Music Center, primeira operação do segmento no Barra. No segmento gastronômico, chegaram o Bento Café, o Latitude 13, o Divino Fogão, a Cia dos Churros, Tokai Express e Kekala picolés personalizados. Em breve, chegará ao shopping o Tivoli Café (L4, no piso do cinema) e o Camarada Camarão, com um mega restaurante. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas