Posto de gasolina é vistoriado pela Defesa Civil após explosão em carro

salvador
11.08.2021, 11:06:00
(Nara Gentil/CORREIO)

Posto de gasolina é vistoriado pela Defesa Civil após explosão em carro

Técnicos também visitaram escola e edifícios próximos

O posto de combustível onde o kit de gás de um carro explodiu na manhã desta quarta-feira (11) foi vistoriado por técnicos da Defesa Civil. Parte da estrutura do posto, em PVC, acabou desabando com o impacto da explosão.

Segundo a Defesa Civil,  dois prédios e uma escola infantil nas imediações foram atingidos pelo deslocamento de ar, tendo vidro e esquadrias de alumínio danificadas. A Escola Pingo de Gente foi notificada para fazer os reparos antes de retornar as aulas, suspensas nesta manhã, após o acidente.

Já o Parque dos Dinossauros, que fica nas proximidades, só será reaberto à tarde. 

(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)
(Nara Gentil/CORREIO)

Ainda não há informações sobre o que causou a explosão do kit de gás. Na hora da explosão, o Onix estava sendo abastecido. O dono do carro, o motorista por aplicativo Jairo Lustosa Pimentel, 57 anos, tinha descido do carro.

"Eu tava esperando acabar de abastecer do lado do carro, e fui jogado para trás com o impacto. Eu fiz todo procedimento de segurança. A sorte foi essa. Se eu tivesse dentro do carro, tinha morrido", disse Jairo Pimentel, em entrevista à TV Bahia, logo após a explosão.

Ele acabou com o cabelo queimado e ferido com estilhaços. O frentista que abastecia o carro também sofreu ferimentos e queimadura de primeiro grau. Os dois foram levados para o Hospital Geral do Estado (HGE). Uma outra funcionária que trabalha na loja de conveniências torceu o pé enquanto corria da explosão e recebeu atendimento médico no local.

Jairo Arizi, 70 anos, vizinho do motorista do aplicativo, contou que o dono do carro tem o costume de abastecer nesse posto de gasolina. Ainda de acordo com ele, o veículo foi vistoriado há dois meses, mas a documentação que comprova o procedimento se perdeu com a explosão. 

O motorista de aplicativo Antônio dos Santos, 57, estava na fila para abastecer quando aconteceu a explosão. Ele estava em sua Spin, atrás do Onix que pegou fogo. “Eu tava estacionado bem atrás do carro pra abastecer, quando do nada houve a explosão. Estava numa distância de aproximadamente dois metros , quando o carro da frente pegou fogo e o efeito da explosão atingiu o meu carro. Na hora, não sabia se ficava ou corrida, mas na hora pensei em viver e corri junto com as outras pessoas desesperadas”, disse ele.

Segundo Antônio, as chamas duraram cerca de meia hora. “Meu carro estava lá e eu tive que pedir pelo amor de Deus para alguém me ajudar a trazê-lo para uma área segura, distante do carro que pegou fogo. Meu carro queimou também um pouco e usei um extintor”, contou ele que já fez uma estimativa prejuízo. “Só esse carro custa R$ 60 mil”, declarou.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas