Prefeitura faz edital para requalificação da Colina Sagrada

salvador
09.01.2018, 13:39:00
Atualizado: 09.01.2018, 17:07:01
(Divulgação)

Prefeitura faz edital para requalificação da Colina Sagrada

Lançamento será na quarta, às vésperas da Lavagem do Bonfim

O prefeito ACM Neto (DEM) lança nesta quarta-feira (10), a partir das 15h, o edital de licitação para as obras de requalificação do entorno da Basílica do Senhor do Bonfim. As obras estarão prontas em 12 meses, e serão entregues antes da Lavagem do Senhor do Bonfim de 2019, de acordo com a Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), responsável pelo projeto e pelo planejamento urbano de Salvador. 

A solenidade de lançamento do edital acontece no próprio Largo do Bonfim, onde o prefeito vai assinar também um contrato com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 11 milhões, para as obras. No local, será implementado o Caminho da Fé, um espaço para peregrinação e turismo religioso, entre os santuários de Irmã Dulce e a Basílica do Bonfim.

A requalificação vai ampliar os limites da Praça do Largo, para que ela funcione como uma continuidade das escadarias do Bonfim. A praça será pavimentada em mosaico de pedra portuguesa branca, com grafismos no piso.

O sistema viário também vai ser redesenhado. As vias que passam à frente da entrada da escadaria principal e a via à frente da Casa dos Romeiros serão suprimidas no novo projeto. Assim, os veículos terão que fazer retorno pelos fundos da igreja, perto da Casa do Juiz da Devoção. 

Uma edificação será criada para o abrigo de velas (velários), eliminando risco de incêndio na igreja. Também haverá um espaço para distribuição da água benta, que provê aos visitantes acesso à água santificada. As construções serão integradas ao conjunto de casas do entorno.

Palco para eventos
Na parte de baixo da Colina, o Largo da Baixa do Bonfim (Praça Euzébio de Matos) também será redesenhado, com alinhamento com os arcos da Ladeira do Bonfim. Os vãos serão reativados para funções comerciais e de serviços. A praça também terá um pequeno palco para eventos. Com o deslocamento da praça, haverá espaço para um grande estacionamento público, além da criação de baias para ônibus e vagas para vans e motos. As praças serão ligadas através de rampas e escadarias.

É justamente a questão de estacionamento que tem preocupado os comerciantes do entorno da Basílica. A empresária Odayla Fialho conta que a maior queixa de outros comerciantes é a falta de estacionamento para os clientes, além da zona azul. "Todos os turistas elogiam o espaço, falam sobre as belezas naturais do lugar, mas a nossa reclamação é em relação ao estacionamento", lamenta Odayla, que é proprietária do Quintal do Casarão. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas