Prejuízo do estado com Ponte Salvador-Itaparica pode chegar a R$ 100 milhões por mês

satélite
20.10.2021, 05:00:00

Prejuízo do estado com Ponte Salvador-Itaparica pode chegar a R$ 100 milhões por mês

Por Jairo Costa Júnior

Cálculos feitos por técnicos do governo da Bahia responsáveis por analisar a Parceria Público-Privada da Ponte Salvador-Itaparica apontam que, quando o projeto for completamente concluído, o prejuízo para o estado deve chegar a cerca de R$ 100 milhões por mês - R$ 1,2 bilhão por ano. A soma se refere ao desembolso que o governo será obrigado a pagar para o consórcio chinês, por causa do aumento da demanda além da prevista no contrato. Segundo apurou a Satélite, as estimativas teriam desconsiderado o eventual crescimento do fluxo após a duplicação da Ponte do Funil e da rodovia que dá acesso à BR-101, fundamentais para o escoamento dos veículos sem estrangular o tráfego. 

Bola devolvida
Como a tarifa de pedágio sugerida, de R$ 50, foi recusada pelos chineses, para quem o valor não cobre investimentos na obra e custos futuros de manutenção gerados pela demanda maior, o governo aceitou bancar a diferença com recursos próprios. O que, na prática, funciona como um tipo de subsídio para a tarifa.

Debaixo do tapete
As falhas na previsão da demanda e o consequente aumento na conta a ser paga pelo governo  levaram a Secretaria Executiva da PPP a emitir parecer contrário ao modelo definido para a concessão da ponte. Contudo, a Casa Civil do Estado, então chefiada por Bruno Dauster, ignorou os alertas e decidiu levar adiante o projeto, mesmo avisado dos  riscos financeiros. Diante da resistência da Secretaria Executiva em avalizar o acordo, o parecer desfavorável jamais foi disponibilizado para conhecimento público, mantendo fora do radar detalhes que revelam os prejuízos para o erário.

Chave de braço
A Via Bahia ganhou um round crucial no duelo com o Ministério da Infraestrutura pelo controle das BRs 324 e 116 no estado. Na quarta passada, uma sentença da Justiça Federal, de efeito imediato, suspendeu a obrigatoriedade de obras não essenciais pela Via Bahia até que a Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) faça as revisões quinquenais previstas em contrato para 2014 e 2019. No dia 15, porém, a ANTT baixou portaria que define um calendário de obras nas BRs. Agora, a empresa espera a revogação do ato, de acordo com a decisão da justiça do Distrito Federal.

Folia no forno
O prefeito Bruno Reis (DEM) sinalizou a membros do alto escalão do Thomé de Souza e a líderes da base aliada na Câmara de Vereadores que está decidido a autorizar o Carnaval em 2022. Em conversas reservadas, interlocutores do democrata garantem que, por entender a necessidade de integrar ações, ele quer anunciar a festa junto ao governador Rui Costa (PT). Só não se sabe até quando pretende aguardar Rui.

Chega pra lá
Rivais do grupo que comanda a OAB da Bahia na briga pela presidência da entidade arranjaram arma nova na campanha: a ausência da ordem no Mutirão da Cidadania, parceria da prefeitura com Tribunal de Justiça, Polícia Civil, Defensoria e MP para oferecer apoio jurídico. Para eles, a exclusão atesta o isolamento  e o desprestígio da OAB.

A ciência já provou que a volta às aulas presenciais não impacta a curva de contágio e, muito menos, o número de mortes. A escola é um ambiente mais seguro que todos os que estão sendo retomados
Cris Correia, vereadora do PSDB de Salvador, ao criticar a ação da APLB contra a reabertura da rede pública de ensino

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas