Preso na Bahia homem que esquartejou a esposa em São Paulo

bahia
03.01.2022, 19:20:00
(Foto: Reprodução)

Preso na Bahia homem que esquartejou a esposa em São Paulo

Após o crime, pedreiro colocou partes do corpo da mulher em malas e jogou

Está preso em Vitória da Conquista, no sul da Bahia, o pedreiro Assuero dos Santos Severo. Ele era procurado pela polícia por matar e esquartejar a esposa Cláudia Almeida dos Santos, de 38 anos, em São Paulo, na noite do Natal. Após o crime, Assuero pegou as duas filhas do casal e fugiu para a cidade de Tremedal, no interior baiano. 

Segundo a Polícia Civil da Bahia, o suspeito se apresentou no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) em Vitória da Conquista, onde teve o mandado de prisão temporária cumprido e permanece custodiado. Ele será levado para São Paulo, onde ficará à disposição da justiça.

O crime aconteceu na noite do dia 24 de dezembro, quando a família viu a vítima pela última vez. Vizinhos escutaram a discussão do casal depois que ela recebeu a ligação de um homem. Ele esfaqueou a mulher depois da ceia de Natal, quando as filhas já estavam dormindo. Imagens de câmeras de segurança na rua onde eles moravam flagraram o momento em que Assuero sai da casa carregando malas, com as partes do corpo da esposa.

Câmeras flagraram momento em que Assuero saiu com as partes do corpo da esposa (Fotpo: Reprodução)

A Polícia Civil de São Paulo localizou o corpo de Cláudia na manhã do dia 31 de dezembro, na zona leste de São Paulo. "Policiais civis realizavam diligências em buscas pelo paradeiro da vítima, a qual possuía um B.O. de desaparecimento, quando encontraram partes de um corpo feminino nas avenidas Calin Eied e Dr. Luís Ayres", diz a nota da polícia. Ainda segundo a corporação, duas malas de viagem utilizadas no crime foram apreendidas.

Em entrevista à TV Record de São Paulo, uma prima de Cláudia contou que ela tinha um amante que conheceu no aeroporto em uma viagem para a Bahia. Segundo Alexandra Silva ela estava trocando mensagens com o homem, mas pretendia se reconciliar com o marido. "Ela falava para mim que não estava mais aguentando, que era muita pressão do marido e que não sabia o que iria fazer. Estava muito apaixonada, mas não largava do marido por causa das filhas. Ela me disse [no dia 24 de dezembro] que sairia do trabalho e que faria a ceia para ficar ao lado do marido e das filhas", disse a parente da vítima.

Assuero chegou a contar para a família da esposa que ela teria fugido com o amante para justificar seu desaparecimento. "Eu estava disposto a perdoar tudo, passar uma borracha, mas ela só mentia, cada vez mais mentia", disse Assuero em mensagem de áudio para a família de Cláudia. Na véspera do réveillon, o pedreiro se apresentou acompanhando um advogado na delegacia em Vitória da Conquista, onde confessou o crime e alegou que foi traído.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas