Psicóloga é presa após ferir idosa com maracujá congelado em ato contra STF

brasil
12.04.2021, 11:31:00
(Reprodução)

Psicóloga é presa após ferir idosa com maracujá congelado em ato contra STF

Em Curitiba, mulher jogou fruta do 13º andar, atingindo senhora de 73 anos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma psicóloga de 53 anos foi presa por tentativa de homicídio em Curitiba depois de atirar um maracujá congelado na direção de um grupo de manifestantes, no domingo (11). O grupo participava da Marcha da Família Cristã pela Librdade.

O movimento, que aconteceu em algumas cidades do país, protestava contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de dar autonomia para que estados e municípios decidam se templos religiosos podem abrir durante a pandemia.

A suspeita arremessou a fruta congelada da sacada de um apartamento no 13º andar no bairro do Batel por volta das 17h, segundo os manifestantes. 

Uma idosa de 73 anos foi atingida na cabeça e ficou desacordada. Ela foi encaminhada para atendimento médico no Hospital Evangélico Mackenzie. A idosa recebeu pontos na cabeça e foi liberada ainda no domingo à noite, depois de passar por exames.

"Ela tomou pontos na cabeça, recebeu alta e já está em casa. Todo mundo viu a mulher jogando as frutas, sendo que uma dessas acertou essa senhora. Era uma marcha tranquila e sem nenhum incidente. Uma mulher de 53 anos quase matar alguém mostra que vivemos o fim do mundo mesmo", disse ao Uol Renato Gasparin, um dos organizadores do protesto.

A mulher foi detida no prédio pela Polícia Militar. Ela foi levada para registro de uma ocorrência na Central de Flagrantes. Ela está presa aguardando a audiência de custódia. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas