Qualidade de vida é essencial para 64% dos profissionais, aponta Catho

empregos
27.08.2018, 06:00:00
(Ilustração: Axel Hegouet/ CORREIO)

Qualidade de vida é essencial para 64% dos profissionais, aponta Catho

Pesquisa feita pelo site mostra que equilibrar carreira e vida pessoal é mais importante que pacote de benefícios

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Por mais que, para alguns, seja uma meta difícil de alcançar, conciliar vida pessoal e trabalho está na mesma lista de prioridades que um bom salário e um plano de carreira definido. Pelo menos é o que aponta a Pesquisa dos Profissionais 2018 da Catho. No estudo, mais da metade dos profissionais (54%) colocaram que a possibilidade de equilibrar felicidade pessoal com a carreira é mais importante que o pacote de benefícios atrativos oferecidos em uma vaga de empregos.

A pesquisa registrou também que 60% das pessoas buscam trabalhar com o que gostam. “Até pouco tempo atrás, pacote de benefícios era o foco da busca dos profissionais. Hoje, continua prioridade, mas já divide a atenção com a qualidade de vida. Ou seja, as pessoas estão percebendo que o equilíbrio na profissão, assim como tudo na vida, é o ponto-chave para a busca da felicidade”, pontua a assessora de carreira da Catho, Elen Souza. 

De acordo com a especialista, o principal entrave para conciliar as duas coisas está na alta competitividade do mercado de trabalho. Nesse sentido, a qualidade de vida é não ter que sacrificar a saúde e os momentos com a família e amigos. Em um cenário onde as taxas de desemprego continuam muito altas, trabalhar com o que se gosta ainda é prioridade. 

“Existe um conceito equivocado de que se dedicarmos um tempo maior à vida pessoal podemos ficar menos focados no objetivo profissional. No entanto, a equação é simples: pessoas felizes têm mais chances de se tornarem profissionais mais bem sucedidos”, acrescenta Elen.

Escolhas

A professora Erica Valle precisou mudar de atitude quando o fato de trabalhar os três turnos seguidos todos os dias da semana passou a lhe provocar um sentimento de culpa. “Para ter padrão financeiro de vida melhor,  você abdica do tempo, do lazer, a fim de garantir isso. Falta essa presença, o estar perto, isso se torna uma cobrança e aí vem a culpa”, diz.

Casada e mãe de dois filhos, uma de 9 e outro de 2 anos, ela teve que fazer algumas escolhas. “Mexeu muito comigo quando minha filha se negou a almoçar por que eu não estava em casa. Com isso,  tomei a decisão de rever meus horários e mudar de escola para outra que fosse mais próxima de casa”, conta.

A partir daí, não tem nada que modifique a rotina de fazer todas as refeições em família. “É o momento da gente. Tomamos café juntos, almoçamos juntos e jantamos juntos. No fim de semana também não se fala de trabalho. Eu sou exclusivamente da minha família. Ainda assim, eu sinto muita falta de estar em casa, mas a gente precisa trabalhar”, pondera a professora. 

Para o especialista em gestão e liderança e diretor da Consultoria BTS, Renato Grinberg, tomar essas decisões são fundamentais para reverter a competição entre trabalho e vida pessoal. “O profissional deve tomar decisões que incluam as aspirações de seus familiares. Por exemplo, uma promoção que implique mudança de cidade ou país na qual a família não esteja confortável trará problemas. A conciliação parte disso”, afirma. 

Outra dica vem do cofundador da Caminhos Vida Integral e autor do livro A Segunda Simplicidade, Luciano Alves Meira: “A questão está desfocada quando se pensa que há uma tensão quase inevitável entre carreira e vida pessoal. É importante integrar tudo o que somos com tudo o que fazemos e, com isso, não se tornar uma pessoa frustrada. A frustração sempre derrama amargura sobre as pessoas em sua volta, em casa e no trabalho”.


PARA CHEGAR AO EQUILÍBRIO

Planejamento Fazer um planejamento semanal e diário das suas principais atividades, atento, principalmente, para não deixar de fora nenhum evento de importância familiar. 

‘Ladrões’ de tempo  É preciso identificar e eliminar tudo aquilo que te rouba tempo. Pense nisso. 

Aprenda a dizer não Respeite os seus limites. É comum se sentir sobrecarregado, entretanto, pondere até onde você pode ir. Se o trabalho está te prejudicando de alguma forma, modifique sua rotina, reveja seu modo de trabalhar. É preciso estar ciente de que a vida não é só trabalho, ainda que ele pague as suas contas.  

Prioridades É importante  fazer uma análise profunda do seu momento atual e projetar o que quer para o futuro. Com base nisso, é elencar as prioridades e partir para a tomada de decisão, adequada ao que é qualidade de vida para você.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas