Quantidade de vacinados contra a covid chega a 36,5 milhões; 17,2% da população

coronavírus
11.05.2021, 21:55:24
Atualizado: 11.05.2021, 21:59:44
(Divulgação/PMLF)

Quantidade de vacinados contra a covid chega a 36,5 milhões; 17,2% da população

Entre os 36,5 milhões de vacinados, 18.380.678 receberam a segunda dose, o que representa 8,68% da população com a imunização completa

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Brasil vacinou até esta terça-feira, 11, 36.502.196 pessoas com ao menos a primeira dose da vacina contra a covid-19 Os números são obtidos diariamente pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. A quantidade de pessoas imunizadas representa até aqui 17,24% da população.

Balanço divulgado às 20h pelo consórcio com dados obtidos junto a 24 Estados mostra que 592.579 pessoas receberam a primeira dose. Entre os 36,5 milhões de vacinados, 18.380.678 receberam a segunda dose, o que representa 8,68% da população com a imunização completa; 307.087 pessoas receberam a segunda dose nesta terça-feira.

No total, os Estados aplicaram 899.666 doses, entre aqueles que foram vacinados pela primeira vez e os que receberam o reforço do imunizante. As autoridades de saúde destacam a importância de os cidadãos retornarem ao posto na data marcada para completar a vacinação e assegurar a proteção contra a covid-19.

Levando em consideração dados relativos à primeira dose, o Mato Grosso do Sul tem a vacinação mais avançada do País até esta terça-feira. O Estado imunizou 22,28% da sua população contra o novo coronavírus. O que tem a menor porcentagem é Roraima, com 10,91% da população vacinada. Em números absolutos, São Paulo lidera com 8,8 milhões de pessoas vacinadas com a primeira dose

O Ministério da Saúde decidiu nesta terça-feira suspender o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca em gestantes e puérperas após o registro da morte de uma grávida do Rio de Janeiro que havia sido vacinada. O evento adverso já havia feito a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) orientar, na noite de segunda-feira, 10, a interrupção da utilização do imunizante nesse grupo populacional.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas