Quatro pessoas são indiciadas por furto de cobre no Santo Antônio Além do Carmo

salvador
11.11.2020, 17:35:00
Atualizado: 11.11.2020, 17:46:44
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Quatro pessoas são indiciadas por furto de cobre no Santo Antônio Além do Carmo

Polícia não informou a quem os envolvidos estão ligados, se à construtora ou se à empresa de sucata

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Polícia Civil concluiu, na segunda-feira (9), o inquérito que investigava o furto de fios de cobre na Rua Direita do Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. Ao todo, quatro pessoas que se associaram para a retirada dos fios pertencentes à Coelba foram indiciadas por furto e associação criminosa. A polícia não forneceu informações sobre quem foram os quatro envolvidos, se são ligados à construtora ou à empresa de sucata.

O caso ocorreu no dia 27 de setembro, um domingo, e vinha sendo investigado pela 1ª Delegacia Territorial (Barris). O inquérito foi encaminhado na terça-feira (10) para análise da justiça. O CORREIO entrou em contato com o Tribunal de Justiça da Bahia para saber mais, mas não teve retorno até esta publicação.

O roubo foi descrito como “cinematográfico” por moradores do bairro. Aproveitando que o local estava em obras, sendo requalificado, cerca de 20 pessoas vestidas com tradicionais uniformes de cor azul e com maquinários de grande porte, como retroescavadeiras, destruíram 60 metros de extensão de um lado da rua para levar fios de cobre que ali estavam enterrados. A ação durou cerca de quatro horas e danificou a rede de tubulação de água.  

Quatro homens que não quiseram se identificar conversaram com o CORREIO na manhã de 30 de setembro e admitiram terem sido os operários que retiraram os fios de cobre. O grupo disse que pretendia retirar um total de 360 metros de cabos e vendê-los por R$ 6 mil. O lucro da operação seria dividido pela metade: 50% para serem repartidos entre os funcionários que retiraram os fios e os outros 50% ficaria com o funcionário da construtora. A construtora Pejota, que realizava a obra, diz que a retirada aconteceu de "forma alheia" ao seu conhecimento e negou ter contratado serviço para retirada.

O grupo afirmou que fez a operação após um acordo com o funcionário Thailan Macedo, estagiário da Pejota. Eles disseram que não sabiam que se tratava de uma operação ilegal e acreditavam que a empresa Pejota sabia da operação. Os operários foram até às casas de moradores do Santo Antônio para pedir desculpas pelo ocorrido.

“A Pejota Construções reforça que a retirada dos fios de cobre de Santo Antônio Além do Carmo foi praticada por terceiros de forma alheia ao conhecimento da empresa. Após preliminares apurações relativas à denúncia feita à imprensa, a Pejota instaurou uma sindicância para tomar todas as providências legais cabíveis e afastou funcionários da obra para apurar as responsabilidades. A Pejota reforça que não contratou o serviço para nenhum fim. Ainda assim, todas as medidas foram tomadas para reparar os danos evitando maiores prejuízos para os moradores, para a CONDER e para a Coelba.”
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048