Queda de árvores aumenta durante período chuvoso em Salvador

salvador
27.04.2020, 19:30:00
Atualizado: 28.04.2020, 15:47:48
(Foto: Bruno Concha/Secom)

Queda de árvores aumenta durante período chuvoso em Salvador

Prefeitura montou operação especial para evitar acidentes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com a chuva intensa que caiu sobre Salvador nos últimos dias e a previsão de aumento do indíce pluviométrico a partir de agora, a Defesa Civil tem dado uma atenção ainda maior às árvores da cidade. É que a queda delas está entre as principais ocorrências provocadas pelas chuvas.  

Esse período é complicado porque, além do solo encharcado, temos ventos fortes. Diante dos fatores climáticos, reforçamos nossas ações para tentar minimizar os transtornos que comumente são provocados pela chuva. Nesta segunda (27) mesmo, por prevenção, tiramos uma árvore no Corredor da Vitória para evitar que caísse. Seguimos com plantões 24 horas para manutenção da estrutura da cidade”, garante Virgílio Daltro, titular da Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman).

De janeiro a março deste ano, foram feitas 11.145 podas e 201 remoções de vegetais na capital baiana. No período chuvoso, as ações de manutenção em árvores têm se intensificado.

A Seman mantém a execução integral dos serviços, com efetivo operacional escalado em plantões de 24 horas. As equipes atuam emergencialmente nas demandas geradas pelo mau tempo. Na lista de atividades prioritárias estão as ações corretivas e preventivas relacionadas à poda de vegetais em áreas públicas, já que o solo encharcado e o aumento do peso da árvore, em razão da água que se acumula na copa, são fatores que podem provocar a queda.

As podas são feitas todos os dias da semana e ao longo de todo o ano. “O que vai direcionar a ação com determinada árvore é o diagnóstico feito pela nossa equipe técnica. Temos árvores centenárias e muitas delas, condenadas. Vale lembrar que, quando optamos em remover, é porque representam riscos e podem cair e provocar graves acidentes”, assinalou Daltro.

Rotina
O serviço de monitoramento é realizado nos principais corredores de tráfego da cidade por equipes especializadas, compostas por engenheiros agrônomos e técnicos da Coordenação de Áreas Verdes. As vistorias têm programações permanentes em ruas, praças, vales, rotatórias e parques da cidade.

Após diagnóstico individualizado de cada árvore, os técnicos executam serviços como correção de solo, podas corretivas e tratamento do tronco. A iniciativa envolve georreferenciamento e o estudo de cada planta existente na capital baiana. Os agrônomos verificam a sanidade e a integridade dos vegetais por meio da tomografia e penetrografia das árvores. Somente depois do levantamento das características, os serviços são definidos.

As informações colhidas pelos agrônomos, por meios de procedimentos técnicos feitos no solo e nas árvores, alimentam um banco de dados intitulado de Preservar. A ferramenta permite a realização de um acompanhamento direcionado de casa vegetal.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas