Raniele fala em pressão no 2º Ba-Vi, mas diz que não há desespero

e.c. bahia
15.03.2021, 15:26:00
Atualizado: 15.03.2021, 15:39:21
Raniele volta ao Bahia após se recuperar de lesão (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Raniele fala em pressão no 2º Ba-Vi, mas diz que não há desespero

Time de transição do tricolor encara o Vitória, nesta quart-feira (17), pelo Baianão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A rivalidade entre Bahia e Vitória está cada vez mais intensa. No lado tricolor, a derrota no primeiro clássico de 2021 nem bem foi assimilada e o clube já tem mais um confronto com o Leão. Nesta quarta-feira (17), um novo Ba-Vi será disputado, dessa vez pelo Campeonato Baiano, às 18h, no estádio de Pituaçu. 

Como estratégia de planejamento, o tricolor vem utilizando o time de transição no estadual. Por isso, no segundo clássico da temporada, é o time alternativo quem vai ter a chance de dar o troco pelo revés no primeiro confronto. 

"A torcida pode esperar da gente o que a gente demonstra. Um empenho imenso, a nossa garra, nossa vontade, dedicação de representar o Bahia. Pelo resultado de sábado deu para estudar um pouco mais a equipe do Vitória. Saber onde errou no sábado e corrigir para quarta-feira. O lado positivo da derrota foi a gente poder ter mais tempo para estudar o Vitória", disse o volante Raniele.

Recuperado de lesão, Raniele será uma das novidades do Bahia na partida. Um dos mais experientes do grupo, ele reconhece que a derrota da equipe principal no Barradão aumenta a pressão para o transição, mas garante que não há desespero. 

"O fato de ter perdido o jogo de sábado, lógico, aumenta um pouco mais a pressão. Mas não é um desespero. Aumenta a pressão pela cobrança da gente. A gente sabe que pode mais, poderia ter saído com a vitória. Aumenta a importância do jogo, mas não é algo que vai desesperar a gente na partida", continuou ele. 

Aliás, no jogo desta quarta-feira, o time de transição tem a chance de manter retrospecto positivo contra o principal rival. Foi com a equipe alternativa que o Bahia venceu o Ba-Vi do ano passado. Também pelo Campeonato Baiano, o time sub-23 fez 2x1 no rubro-negro, no Barradão. Na ocasião, os dois clubes utilizavam times mais jovens no estadual. Agora, o Leão estará com o grupo principal. 

"A gente pensa sempre no próximo jogo, os três próximos pontos são os mais importantes. Acredito que ter um resultado positivo na quarta e aí podendo ganhar confiança, a gente não vai precisar se preocupar com essas contas", finalizou o volante.

Alerta ligado
Fora a busca pelo triunfo no clássico para ganhar ânimo, vencer o Ba-Vi vai representar também um certo alívio para o tricolor na tabela no Baianão. Com quatro pontos em quatro jogos, o Esquadrão é o atual sétimo colocado, fora da zona de classificação para as semifinais. 

Uma derrota ou empate em Pituaçu, pode complicar os planos do time em se garantir na fase mata-mata para tentar o tetracampeonato estadual. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas