Recuperado de lesão, Fernando Neto revela ansiedade pelo retorno

e.c. vitória
02.07.2020, 05:00:00
Fernando Neto é volante e também pode atuar como meia (Letícia Martins/ EC Vitória/ Divulgação)

Recuperado de lesão, Fernando Neto revela ansiedade pelo retorno

Titular absoluto antes de se machucar, volante projeta primeiro gol com a camisa do Leão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Fernando Neto não vê a hora de estrear a rede com a camisa do Vitória. “Tomara que saia logo o meu gol, pois tenho trabalhado bastante pra isso”, avisou o volante. Ele só não sabe como será a comemoração em campo caso o feito seja alcançado durante a pandemia do novo coronavírus. Para evitar a contaminação da covid-19, abraços não são recomendados atualmente fora e nem dentro das quatro linhas. 

“É o momento de euforia pra gente, um momento importante na partida, mas sabemos o que está acontecendo no mundo inteiro e temos que ter todas as precauções possíveis”, pontuou o jogador de 27 anos, que admite ser complicado ter uma rotina de trabalho com tantos protocolos de segurança. 

O Vitória reabriu a Toca do Leão no último dia 16, após a Prefeitura de Salvador autorizar o retorno dos treinos presenciais de clubes de futebol. O centro de treinamento rubro-negro ficou fechado por três meses e medidas foram adotadas para evitar o contágio da doença. Os jogadores têm a temperatura testada logo na chegada ao clube e não podem usar o vestiário, por exemplo.

“Ao meu ver, está difícil por todas essas orientações. Não é o que a gente estava acostumado a viver, mas é o que temos que passar. É seguir as regras, porque esse vírus não está de brincadeira, mas se Deus quiser ele vai passar logo”, vislumbra o jogador, que adotou medidas de segurança também dentro da própria casa. 

“A primeira coisa que eu faço quando chego em casa, já que não estamos usando as dependências do clube, é colocar meu material na porta e ir direto para o banheiro. Logo em seguida já levo a minha roupa para lavar”, revelou o jogador.

Fernando Neto está há mais quatro meses longe dos gramados. Titular nos seis primeiros jogos da temporada, contra Fortaleza, Sport, Bahia, Imperatriz, Frei Paulistano e CRB, ele se machucou no segundo tempo do jogo contra a equipe alagoana, em 27 de fevereiro, quando o Vitória venceu por 2x1, no Barradão. O jogador foi diagnosticado com uma lesão muscular de grau 1 na coxa esquerda e os médicos previram afastamento por 15 dias, o que fez ele ficar de fora dos quatro duelos seguintes, diante de Lagarto-SE, ABC, Ceará e River-PI. Logo depois, os campeonatos foram suspensos por causa da pandemia.  

Concorrência
Os principais companheiros de Fernando Neto no meio-campo rubro-negro foram Guilherme Rend e Gerson Magrão. Os três iniciaram quatro jogos juntos. Depois, Gerson Magrão deu lugar a Rodrigo Andrade e na sequência a Jean. 

“Me sinto à vontade jogando como segundo volante, mas faço outras posições que já joguei em outros clubes que passei. Onde o professor Bruno Pivetti (técnico) optar e achar que vou render mais, irei me esforçar para dar o meu melhor”, avisou. 

Atualmente, o Vitória tem oito volantes no elenco. Além dele, estão à disposição jogadores como Guilherme Rend, Jean, Maikon Douglas, Rodrigo Andrade, Romisson e os recém-promovidos do já extinto time de aspirantes Figueiredo e Gabriel Bispo.

Antes de se machucar, o camisa 7 era titular absoluto no esquema tático do técnico Geninho, demitido pelo clube no mês passado. Fernando Neto se diz focado na proposta do novo comandante Bruno Pivetti. “O Bruno já estava com a gente desde o início da pré-temporada e já colocava alguns trabalhos ao longo da semana. O grupo já comprou a ideia e estamos treinando firme para recuperar o que foi perdido nesses três meses. A gente vinha treinando em casa, mas não é a mesma coisa. Estamos focados junto com o Bruno para a sequência do campeonato”, deu o recado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas