Reforma da avenida Edgar Santos reduz engarrafamentos no Cabula e Imbuí

salvador
26.12.2019, 13:14:45
Atualizado: 26.12.2019, 13:52:55
Com a requalificação de avenida, motoristas gastam menos tempo no Cabula (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Reforma da avenida Edgar Santos reduz engarrafamentos no Cabula e Imbuí

Anteriormente, ,a Avenida Edgar Santos, o congestionamento em dias de pico durava até meia hora e atingia o Imbuí

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Há até pouco tempo, na Avenida Edgar Santos, no Cabula, os engarrafamentos eram constantes e duravam até meia hora nos momentos de pico. O congestionamento era tanto que causava reflexos na avenida Paralela, até o bairro do Imbuí.  "Ficava tudo travado. Não passava nada. Era muito irritante. ", disse o presidente da Associação dos Moradores do Doron Henrique Oliveira. Agora, a situação é outra. A previsão é que os motoristas gastem metade do tempo com a requalificação da via, oficialmente entregue a Salvador na manhã desta quinta-feira (26). 

“As pessoas perdiam muito tempo aqui. A depender do horário, gastavam 30 minutos. O pico [do engarrafamento da manhã], no sentido Paralela, que é uma saída do bairro, entre 7h até 9h30, e no sentido inverso, durante a tarde, acabava refletindo no viaduto de Narandiba e na própria marginal da avenida Paralela. Com a intervenção, a nossa expectativa é gastar a metade do tempo, ou até menos do que isso, em um horário de pico”, declarou o superintendente da Transalvador Frabrizzio Muller durante a entrega da avenida requalificada. 

A intervenção na Avenida Edgard Santos, responsável por ligar a Avenida Luís Viana Filho (Paralela) a bairros como Narandiba, Doron, Cabula e Tancredo Neves, envolve criação de novos acessos e melhorias para motoristas, passageiros e pedestres.

“Mas não adiante fazer obra de alargamento e outras obras de infraestrutura se a pessoas não respeitarem a sinalização, as regras de parada e circulação, que acabam congestionando da mesma forma”, pontuou Muller. 

A obra teve duração de seis meses. Com projeto elaborado pela Transalvador e investimento de R$ 4 milhões, as intervenções foram executadas para a melhoria da infraestrutura e mobilidade à região, dando mais fluidez ao tráfego e qualidade de vida aos pedestres. O sistema de drenagem da avenida também foi refeito, acabando com os constantes alagamentos em períodos de chuva.

Além disso, os dois sentidos da via ganharam mais uma faixa para circulação de veículos, entre o viaduto de Narandiba e o acesso ao Doron, após redução do canteiro central. A pista, portanto, ficou mais adequada para atender ao atual volume de tráfego da localidade.

Reforma da avenida Edgar Santos foi entregue nesta quinta (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Em frente à Coelba, foi criado outro ponto de ônibus com baia para abrigar melhor os passageiros. A lista de melhorias ainda envolveu a instalação de semáforo, implantação de faixa para passagem de pedestres, melhoria nos passeios e requalificação asfáltica dos cerca de 5km da avenida.

Durante a solenidade, o prefeito ACM Neto falou da intervenção da avenida e também sobre os investimentos da Prefeitura em mobilidade.

“Fizemos uma obra completa que traz não uma nova base para essa via, mas um traçado que vai facilitar a fluidez do trânsito dessa região, um investimento de aproximadamente R$ 7 milhões quando a gente faz a soma de todas as intervenções feitas pela prefeitura dentro de uma série de ações que a prefeitura vem fazendo em toda cidade. Há poucos dias inauguramos os viadutos do Parque da Cidade e vamos continuar com essa obras, seja em vias estruturantes da cidade, seja em vias locais para melhorar a mobilidade, a qualidade de vida das pessoas”, declarou o prefeito.  

Neto pontou a relação entre as obras de intervenção da Avenida Edgar Santos com os alagamentos na região. “Todas as intervenções que a gente faz hoje na prefeitura a gente se preocupa com a questão da infraestrutura, ou seja, de resolver o problema como um todo, resolver o problema da drenagem para resolver os alagamentos nas épocas de chuva e claro conciliar tudo isso com a questão da mobilidade para melhora a condição do trânsito, da fluidez e a gente fica satisfeito pois soluções como essas são completas, que vão resolver problemas antigos de nossa cidade”, disse o prefeito. 

O também secretário de obras Bruno Reis falou da requalificação. “Aqui é uma das principais bases de tráfego que dá acesso a alguns bairros extremamente populosos, então passam diversos veículos em todos os sentidos pois é a principal saída para pegar a Paralela e vinha sofrendo com as retenções que chega o momento da retenção acumular na entrada do Imbui. Com o alargamento das vias e a redistribuição dos pontos de ônibus, a gente traz mais comodidade aos passageiros que vão pegar o ônibus e também aos veículos que passam agora sem mais qualquer retenção” 

Aprovação
Quem mora, quem trabalha, quem passava pela avenida aprovou a requalificação. "Imagina uma região cheia de residências, prédios comerciais, escolas e os veículos circulavam em duas vias. Não tinha condições. Hoje são três vias, dando mais fluidez ao trânsito. Era uma reivindicação antiga", declarou Henrique Oliveira, presidente da Associação dos Moradores do Doron. 

O comerciante Bruno da Silva Costa, 21, mora em Pau da Lima, mas costuma ir ao Cabula VI ver a filha. "Nesse horário (10h30) já estava engarrafado. Hoje o fluxo está tranquilo", disse ele.  A aprovação foi dada também pela recepcionista Cristiane Oliveira Santos, 38, que caminhava no canteiro central da via. "Anteriormente a gente andava num terreno cheio de buracos e tinha um esgoto correndo ao lado. A obra ajeitou tudo", declarou. 

O motorista de ônibus Cláudio da Costa, 53, disse que além de dar maia fluxo ao trânsito, a obra impactou também na questão da segurança pública. " No canteiro tinham plantas altas que serviam para esconderijo de bandidos. Quando os carros ou pessoas se aproximavam, eles agiam. Já vi muitos casos assim", declarou o motorista de ônibus Antônio dos Santos, 58. 

Com mais de 20 anos trabalhando vendendo coco às margens da avenida, em frente a um posto de combustível logo após a Coelba, o ambulante Antônio Santos, 68, disse que os engarrafamentos são a oportunidade para a criminalidade. "Os bandidos daqui aproveitam para assaltar alguns motoristas, alguns distraídos, enquanto aguardavam a fila de carros andar", alertou. 

Novo acesso
Atendendo às solicitações antigas da comunidade local, também foi criado um novo acesso ao Doron pela Edgard Santos, nas proximidades do condomínio Solar do Parque. Vale ressaltar que a saída do conjunto para a Paralela foi melhorada. Com isso, não haverá a necessidade de passar pela rotatória de Narandiba, também conhecida como rotatória do Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira.

No entorno da rotatória, inclusive, foi feita a ampliação dos pontos de ônibus, construção de novas baias, criação de travessia segura de pedestres com a implantação de uma faixa elevada e a ampliação com organização dos estacionamentos públicos.

O projeto de requalificação da Edgard Santos também envolveu a reforma da quadra de esportes, instalação de equipamentos públicos de ginástica e lazer, assim como o reordenamento dos comerciantes informais que atuam no local. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas