Restaurante pede desculpas por garçons que servem cerveja igual ao 'meme do caixão'

em alta
12.05.2020, 10:35:33

Restaurante pede desculpas por garçons que servem cerveja igual ao 'meme do caixão'

Estabelecimento em Gramado (RS) disse que 'serviço diferenciado' aconteceu a pedido de cliente

Um vídeo mostrando garçons de um restaurante de Gramado (RS) servindo cerveja "na pegada" do meme do caixão viralizou nos últimos dias. A cena foi compartilhada no Twitter e causou indignação entre internautas, que criticaram a atitude enquanto o país contabiliza mais de 11 mil mortes durante a pandemia do coronavírus. 

O post recebeu até o momento 1,8 mi visualizações e alcançou 34 mil mil curtidas e nove mil comentários. "A humanidade realmente não deu certo", escreveu o autor da publicação na rede social.

O restaurante em questão divulgou, nesta segunda-feira em suas redes sociais, uma nota de repúdio ao comportamento gravado em vídeo.

O diretor do estabelecimento, Valdemir Ecker, lamentou o episódio por meio de nota e ressaltou não compactuar com "esta atitude totalmente descabida para o momento em que vivemos, em meio à pandemia de Covid-19".

"Lamentavelmente, este triste episódio só ocorreu por uma falha operacional, no exato momento em que o gerente saiu para comprar um produto que havia faltado. Se aproveitando do momento, um dos integrantes da mesa foi até o DJ e pediu a referida trilha musical, além de ter encomendado a coreografia aos garçons", afirma a nota, acrescentando um pedido de desculpas aos clientes e "a toda sociedade".

O restaurante disse ainda que está "tomando todas as providências para que episódios desta natureza não venham a ocorrer novamente".

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas