Réveillon na Boca do Rio faz a alegria dos hotéis da orla

salvador
19.11.2017, 06:00:00
Atualizado: 14.12.2017, 17:59:53
Obras na Boca do Rio em ritmo acelerado para deixar tudo pronto para o Festival da Virada (Almiro Lopes)

Réveillon na Boca do Rio faz a alegria dos hotéis da orla

Um quarto dos leitos da cidade está na região do festival

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As obras já começaram na Arena Cidade da Música, na Boca do Rio. Agora, o trade turístico também se prepara e vive a expectativa de receber os turistas que vêm a Salvador curtir o Festival da Virada, que dará as boas-vindas a 2018. A prefeitura espera receber 2 milhões de pessoas em cinco dias de festival - de 28 de dezembro a 1º de janeiro.

Dez mil leitos, ou seja, um quarto dos 40 mil existentes na cidade, está na região da festa – em 68 locais de hospedagem (entre hotéis e pousadas). No Réveillon pé na areia deste ano, já tem estabelecimento sem vagas. Todos os 60 apartamentos do Hotel Salvador Mar, a 650 metros da festa, já estão reservados para a virada desde o dia 10.

“No ano passado também conseguimos 100% de ocupação, mas não tão cedo”, conta a gerente de reservas do Salvador Mar, Lorena Oliveira. Lá, a diária é de R$ 250 para o casal – com reserva de, no mínimo, três dias. Nos últimos três anos, o Réveillon da cidade acontecia a dez quilômetros de lá, na Praça Cayru. 

A expectativa do setor é de que os hotéis da Pituba até Itapuã sejam os primeiros a encher, de acordo com o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHa), Sílvio Pessoa. “Estamos vendo a economia reagir e acreditamos que a ocupação será próxima de 100% -  maior que o índice dos últimos três anos, que foi de 95%”, afirma.

Superestrutura está sendo construída na orla para a noite da virada

(Fotos: Almiro Lopes)

Corrida contra o tempo

Quem ainda não fez a reserva tem que correr contra o tempo: mesmo com valores até 20% mais altos, a procura por hotéis está maior que no ano passado. “A procura tem melhorado, principalmente, para o Réveillon, mas para o Verão também”, afirma o presidente do Conselho Baiano de Turismo (CBTur), Roberto Duran. 

A melhora tem sido percebida por quem trabalha nos hotéis da cidade. “A procura está 50% maior que no ano passado”, confirma Fernando Araújo, gerente de operações do Pisa Plaza Hotel, no Stiep.

O hotel fica a cerca de 1,5 km da área de 55mil m², próximo ao Parque dos Ventos e ao novo Centro de Convenções da cidade, cujo projeto foi anunciado no final do mês passado pela prefeitura. “Muita gente tem telefonado, perguntando se o hotel é perto do local da festa”, conta. 

Os hoteleiros comemoram a transferência da festa para a região. “Este ano, a ocupação tá mais rápida por causa da festa, que é aqui perto”, conta David Mascarenhas, gerente de operações do Hotel São Salvador, que fica no bairro do Stiep. 

Preço

Com a procura maior, os valores médios da diária, que diminuíram no ano passado em relação a dezembro de 2015 (R$ 194,17 em 2015 e R$ 191,26 em 2016), devem aumentar este ano. De acordo com o presidente da FeBHa, o aumento médio no preço das diárias para casal deve ser de 10%.

Em todos os hotéis pesquisados pelo CORREIO houve aumento de 10% a 20% nos valores da diária em relação ao ano passado. Os preços para o casal variam de R$ 120 a R$ 340 - na maioria dos locais pesquisados são aceitas reservas para o Réveillon de, no mínimo, duas ou três noites.

A expectativa do setor é que a melhora perdure a longo prazo. “A rede hoteleira tem sofrido um baque nos últimos anos, e nós temos sobrevivido. Agora as perspectivas melhoraram”, afirma Francis Pinto, gerente do Hotel Praia dos Artistas, na Boca do Rio. “Estamos apostando também na construção do novo Centro de Convenções, isso também deve ajudar”, conta Fernando Araújo, do Pisa Plaza Hotel.

David Mascarenhas diz que a ocupação do hotel que ele gerencia, no Stiep, está mais rápida por conta da festa

Público Nacional

O servidor público Ivan Júnior, 31, já passou a virada na Praça Cayru e este ano pretende mais uma vez vir de Aracaju (SE) para o Réveillon em Salvador. “Gostei muito. Foi fácil chegar, o espaço era amplo, consegui assistir ao show, curtir e dançar ”, lembra.

Ivan diz que costuma viajar de Aracaju para Salvador sempre que acontecem shows gratuitos na capital baiana: “Eu sempre procuro ficar próximo ao local do show em locais que sejam legais e tenham preços acessíveis”. Ele conta que pretende ficar em Salvador pelo menos três dias e ir a mais de um dia do Festival da Virada para aproveitar os shows de Saulo, Ivete, Daniela e Alok.

Assim como ele, a maior parte da procura por hospedagem nos hotéis de Salvador é de brasileiros. Nos sete hotéis pesquisados pelo CORREIO, os hóspedes vêm de Sergipe, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais e Rio, além do Distrito Federal. Dentre os turistas baianos, o maior fluxo para a capital é de moradores das cidades de Feira de Santana, Conceição do Jacuípe e Vitória da Conquista.

A programação do local vai contar com 70 horas de shows. “Com certeza será uma das maiores e melhores festas de Réveillon do país, e uma das mais procuradas - se não for a maior e melhor”, afirma Roberto Duran, presidente do Conselho Baiano de Turismo. A programação completa, com dias e horários dos shows, ainda será divulgada.

Surfando na grade

Dos 304 apartamentos do Hotel São Salvador, 88% já estão reservados para a virada. O hotel colocou informações sobre estrutura e a programação do festival no próprio site. “O pessoal telefona perguntando sobre a programação, perguntam a distância para a festa, se tem transporte fácil e onde tem ponto de táxi”, conta o gerente David Mascarenhas.

A região que abrange os bairros da Boca do Rio, Costa Azul, Stiep e Armação vinha enfrentando queda na ocupação dos leitos desde a interrupção das atividades do Centro de Convenções, em 2013. “Salvador tá precisando de uma injeção no turismo. O prefeito tem investido nessa festa, trazer o Réveillon para cá ajudou muito a gente”, conta Fernando Araújo, do Plaza Hotel, que já está com 80% dos leitos reservados para o período do Réveillon.

Os profissionais ressaltam também a divulgação da festa da virada em setembro, mais de três meses antes da festa, como fator que contribuiu para a busca por reservas de leitos na cidade. “A procura aumentou por causa do investimento que vem sendo feito na cidade nos últimos três anos. A festa foi divulgada com antecedência, com grade adequada para agradar a todos os gostos e vai ser bem estruturada”, afirma o presidente do CBTur, Roberto Duran.

Pra comemorar

A expectativa é que as vagas em hotéis se esgotem antes do esperado, com base nos índices de ocupação dos anos anteriores: em 2011, a ocupação média nos hotéis em Salvador nos meses de agosto, setembro e outubro foi de 69,97%; em 2013, de 58,27%; em 2015 53,58% e em 2017 o índice aumentou para 59,51% - segundo dados da FeBHa.

O número de reservas para o Réveillon feitas no mês de novembro já supera o número em dezembro do ano passado.  “Temos 50% dos quartos já reservados, pagos e confirmados - no ano passado apenas em meados de dezembro, esse índice foi alcançado”, conta a gerente de receita do Sotero Hotel, no bairro do Stiep, Luciana Soares. 

No Hotel Oceânico, em Armação, restam apenas 15 vagas das 57 disponíveis. “No ano passado, a ocupação não chegou a 50%, este ano já passou dos 70%”, conta a recepcionista Flávia Costa.

“Foi muito boa a ideia do Réveillon aqui na região, a festa melhorou a procura. Até o final do mês de novembro vai esgotar, tá bem melhor que no ano passado”, conta Flávia, que destaca que este ano está sendo uma das melhores ocupações dos últimos 15 anos. 

Atrações Confirmadas

Ivete Sangalo. Gilberto Gil, Saulo, Claudia Leitte, Skank, Wesley Safadão, Luan Santana, Harmonia do Samba, Léo Santana, Aviões, Jorge & Mateus, Bell Marques, Daniela Mercury, Margareth Menezes, Psirico, DJ Alok, Solange Almeida, Matheus & Kauan, Marília Mendonça, Danniel Vieira, Duas Medidas e Rafa e Pipo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas