Rio Vermelho e Itapuã: bares terão que fechar às 17h na sexta, sábado e domingo

salvador
07.12.2020, 15:43:00
(Tiago Caldas/Arquivo CORREIO)

Rio Vermelho e Itapuã: bares terão que fechar às 17h na sexta, sábado e domingo

Também foram suspensos teatro, cinema, casas de espetáculo e atividades sociais em clubes

Os bares e restaurantes no Rio Vermelho e em Itapuã serão fechados de sexta a domingo a partir das 17h, anunciou nesta segunda-feira (7) o prefeito ACM Neto, em coletiva. Também foram suspensos teatro, cinema, casas de espetáculo, atividades  sociais em clubes em toda cidade. Só podem acontecer atividades recreativas e esportivas. As medidas começam a valer em 48h e têm validade de 15 dias. Depois desse período, serão reavaliadas.

O prefeito disse que as medidas são de "baixo impacto econômico". "Estamos vivendo o fim de ano, momento que o comércio se aquece. Fechar shoppings ou lojas não seria razoável, então não estamos cogitando ainda ações desse nível. Mas, como disse, nada está descartado. Em primeiro lugar virá o cuidado com a saúde pública", destacou. "Vocês estão vendo o derespeito que está acontecendo nas noites do Rio Vermelho e em Itapuã. Aglomeração, muita gente, mesmo quando o bar fecha, o que acontece? As pessoas vão pra rua e fazem aglomeração com isopor de cerveja", criticou o prefeito.

As medidas não valem para o período diurno nem durante os outros dias da semana. O fechamento obrigatório acontecerá de sexta a domingo, das 17h até o início da manhã, nos bar e restaurante no Rio Vermelho e Itapuã, onde a prefeitura tem registrado grandes aglomerações. 

Cenário 
Salvador também vai acelerar a criação de novos leitos de UTI para pacientes com covid-19. Até 20 de dezembro, serão abertos mais 10 leitos no Hospital Municipal, 10 no Hospital Salvador e 20 no Hospital Sagrada Família. 

"Nosso objetivo é que até o fim do ano a gente volte a ter o mesmo número de leitos que tivemos no auge da pandemia, os que foram desmobilizados ou convertidos para outras comorbidades", contou o prefeito, afirmando que o diálogo tem sido mantido com o governo do estado, que também fará o mesmo esforço. Nesse momento, os hospitais de campanha não voltarão, mas os leitos serão abertos em outras unidades.

Neto disse que a situação da pandemia tem piorado na capital baiana. O número de casos por dia, que tinha caído para 160, agora chega a 400. A taxa de ocupação dos leitos de UTI aumentou 11% na comparação com a última semana epidemiológica. Hoje está em 77% a UTI e 81% a de leitos clínicos.

Até o início da tarde desta segunda-feira, Salvador estava com 27 pacientes nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) aguardando regulação para um hospital. São pessoas que precisam de leitos específicos para tratamento do novo coronavírus. "Chegamos a patamares altamente elevados. O final de semana foi tenso" disse.

O prefeito lembrou também que muitos pacientes vêm do interior da Bahia e que a abertura de leitos não pode ser a única estratégia. "Vai ter que ser também a estratégia de segurar a velocidade de transmissão, de segurar o ritmo do contágio da doença em Salvador", afirmou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas