Roger diz que continua técnico do Bahia e que título 'atenua tristeza'

e.c. bahia
08.08.2020, 19:59:00
Atualizado: 10.08.2020, 17:38:48
Para Roger, título do Baianão vai aliviar pressão para a sequência da temporada (Felipe Oliveira/ EC Bahia)

Roger diz que continua técnico do Bahia e que título 'atenua tristeza'

Treinador chegou à final do Baiano pressionado após derrota na final do Nordestão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As primeiras palavras do técnico Roger Machado após conquistar o título do Campeonato Baiano neste sábado (8) foram em tom de alívio. O treinador afirmou que segue no comando do Bahia, mas disse que sabe que, se tivesse perdido o estadual, ficaria em situação complicada para continuar o trabalho. O tricolor foi tricampeão ao superar o Atlético de Alagoinhas por 7x6 nos pênaltis, após 1x1 no tempo normal, em Pituaçu.

“Evidentemente que todos nós sabíamos da responsabilidade da conquista desse título e eu tenho a plena consciência de que em caso de um revés aqui, como foi na Copa do Nordeste, seria difícil a permanência. Porém a diretoria sempre me passou confiança em relação à continuidade do trabalho. Por vezes a gente sabe que, pressionado, muitas vezes a diretoria precisa tomar uma atitude diferente do esperado”, comentou Roger.

O treinador chegou ao segundo jogo da decisão do estadual bastante pressionado causa da perda da Copa do Nordeste para o Ceará e também pelo rendimento ruim do tricolor no primeiro jogo da final do Baianão, quando empatou em 0x0.

Mesmo tendo optado por usar o time principal diante do Atlético  –  o Bahia disputou parte do Campeonato Baiano com a extinta equipe de aspirantes e parte com os reservas -, o Esquadrão teve dificuldades novamente e só faturou o caneco nas cobranças de pênaltis.

Roger afirmou que o título do estadual vem para amenizar a perda do Nordestão. “Felizmente essa conquista veio para atenuar um pouco a tristeza do insucesso da Copa do Nordeste. Não é toda hora que se ganha um tricampeonato estadual, a segunda conquista no clube. No outro momento que isso aconteceu (tricampeonato) foi o ano em que o clube foi campeão brasileiro em uma temporada que começou em um ano e terminou na outra, assim como essa. Foi sofrido, nas penalidades, um jogo que o adversário valorizou a nossa conquista e uma grande noite do goleiro Douglas”, analisou. O último tricampeonato tricolor havia sido em 1988, ano do bicampeonato brasileiro.

O Bahia de Roger agora vai focar as atenções no Campeonato Brasileiro. Como o jogo contra o Botafogo, que seria neste domingo (9), no Engenhão, foi adiado por causa da final do estadual, a estreia na Série A será quarta-feira (12), às 20h30, contra o Coritiba, no estádio de Pituaçu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas