Rui Costa cogita contratar médicos de fora do país para reabrir leitos

coronavírus
26.02.2021, 07:56:00
Atualizado: 26.02.2021, 07:56:21
(Mateus Pereira/GOVBA)

Rui Costa cogita contratar médicos de fora do país para reabrir leitos

Governador relatou dificuldade em contratar profissionais dentro do estado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Além do crescente número de casos e de mortes por covid-19, a Bahia enfrenta um outro problema: a falta de profissionais de saúde para atuar em novos leitos. Segundo o governador, Rui Costa, essa é a dificuldade para reabrir o hospital de campanha da Arena Fonte Nova.

"As organizações têm alegado que estão com dificuldades em fechar equipes com médicos, enfermeiros", disse o governador, em entrevista À TV Bahia, nesta sexta-feira (26). 

Por causa disso, ele estabeleceu o dia de hoje para definir a empresa que vai assumir a gestão do espaço. Caso isso não aconteça, o governador vai acionar a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para contratar médicos de fora do estado e até do país.

"Não descarto buscar médicos fora do estado ou do país para conseguir atendimento. Não podemos assistir ter leitos, ter equipamentos e não ter profissionais para atuar", explicou o governador.

Ele disse ainda que procurou Maria Rita Lopes Pontes, das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), para tentar uma parceria, mas também não teve sucesso. "Ela me contou que perdeu muitos médicos e está com profissionais adoecidos. A gente vê que a situação vai se agravando quando o sistema começa a perder parte de sua equipe", pontuou.

Fonte Nova
A Arena Fonte Nova receberá 50 leitos de UTI e outros 30 leitos de enfermaria.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), a cada 10 leitos UTI são necessários sete médicos, 14 enfermeiros, 20 técnicos e 7 fisioterapeutas. Somente para os leitos de Terapia Intensiva, o hospital precisará de 35 médicos, 70 enfermeiros, 100 técnicos e 35 fisioterapeutas.

Para os 30 leitos de enfermaria, a estrutura básica é composta por três médicos, seis enfermeiros, 20 técnicos e dois fisioterapeutas. Isso sem contar o pessoal responsável por hotelaria, higienização, segurança e alimentação da unidade.

Na primeira fase da pandemia, o hospital de campanha da Fonte Nova contou com  100 leitos clínicos e 80 de UTI. A capacidade total da unidade é de 240 leitos, sendo 140 clínicos e 100 de UTI, que foram liberados progressivamente. Ele foi aberto em maio pelo governo do estado, com parceria da prefeitura de Salvador.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas