Rússia expulsa 10 diplomatas dos EUA de Moscou, em retaliação a sanções

mundo
16.04.2021, 15:02:00
(Arquivo AFP)

Rússia expulsa 10 diplomatas dos EUA de Moscou, em retaliação a sanções

Oito autoridades americanas também serão banidas por conta de 'agenda anti-Rússia'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Rússia anunciou nesta sexta-feira, 16, que expulsará 10 diplomatas norte-americanos de Moscou, em retaliação à medida recíproca anunciada na quinta-feira pelos Estados Unidos. Em comunicado, o ministério das Relações Exteriores russo chama as sanções de Washington de "fúteis" e alerta que haverá "consequências desastrosas para aqueles que decidam por tais provocações".

Na nota, o governo russo acusa os EUA de não estarem dispostos a tolerar "a nova realidade em que não há espaço para ditames unilaterais" e classificou de "hipócritas" os pedidos da Casa Branca para evitar a escalada das tensões. "Agora é a hora de os EUA mostrarem prudência, abandonando seu curso de confronto", adverte.

A gestão do presidente Vladimir Putin reconhece que está em posição desvantajosa para impor sanções econômicas, mas assegura que poderá usar os recursos disponíveis, caso necessário.

Também decidiu banir a entrada no país de oito autoridades americanas que estariam envolvidas no desenvolvimento de uma política anti-Rússia nos EUA. Os nomes não foram divulgados.

O órgão máximo da diplomacia russa alega que as ações não são uma escolha do país e assegura estar pronto para um "dialogo calmo e profissional com o lado americano", com objetivo de "normalizar" as relações bilaterais. "No entanto, a realidade é que de Washington ouvimos uma coisa, mas na prática vemos algo completamente diferente. Não deveria haver dúvida - nenhuma onda de sanções ficará impune", salienta.

Nos últimos dias, o governo do presidente norte-americano, Joe Biden, e países aliados têm intensificado a pressão contra o Kremlin, em meio ao aumento da presença militar russa na fronteira com a Ucrânia e uma série de ataques cibernéticos as quais os EUA dizem ter sido alvos.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas