Saiba planejar um envelhecimento saudável e com mais dinheiro

bahia
29.11.2019, 06:00:00
A escritora Iray Galrão fará 79 anos em 2020 e afirma que ainda está procurando o ‘segredo da vida’ (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Saiba planejar um envelhecimento saudável e com mais dinheiro

Baianos estão vivendo mais, segundo dados do IBGE

São 78 anos. Dona Iray Galrão, inclusive, já ultrapassou a expectativa de vida média dos baianos. Se existe um segredo, ela segue procurando e quer continuar assim por muitos anos. Vivendo muito e vivendo bem. “Eu não aguento nem ficar em casa, fico agoniada! Se não tenho nada para fazer, vou comprar pão, procuro alguma coisa”, conta, animada, a funcionária pública.

Prestes a comemorar mais um aniversário no início do próximo ano, Iray já viveu 5 anos a mais do que a média dos baianos. Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), baianos nascidos em 2018 devem viver em média 73,9 anos (ou exatos 73 anos, 10 meses e 24 dias). O número representa um acréscimo de dois meses e doze dias, se comparado com a média de 2017 e está nas Tábuas Completas de Mortalidade, divulgadas nesta quinta-feira, 28, pelo órgão.

Contrariando as expectativas, Iray Galrão se afasta de qualquer estereótipo relacionado a uma pessoa idosa. Apesar da idade, segue ativa e buscando sempre atividades. Hoje, a funcionária pública deu lugar a uma autora de livros infantis que passa seus dias contando histórias para crianças. Contando, porque lembra de cabeça todos os detalhes das histórias que criou.  

“Eu sei de cor. Não sou gagá. Escrevi minha primeira história para uma das minhas filhas, a de coração. Ela é negra e sempre questionou muito sobre as diferenças”, explica a autora, contando um pouco da sua história 

Depois que a história feita para a filha fez sucesso, a funcionária pública teve que conviver com a autora de histórias infantis até que a aposentadoria chegasse. Hoje, ela é só das crianças. “Eu acho que esse deve ser o meu segredo: trabalhar com as crianças. Com essa energia delas, é um presente”, diz ela, que conta as histórias em escolas, bibliotecas e até no mercado do Rio Vermelho. Se algo a assusta? “Eu tenho medo dos 80. Eles têm um peso né? Até os 79 eu tô levando ‘de boas’”, acrescenta ela, sem perder a alegria.

Envelhecer bem

Professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), na Bahia, o geriatra Jonas Gordilho Souza aponta alguns aspectos que podem colaborar para que os anos não cresçam só em quantidade, mas também na qualidade de vida. “Não adianta você pensar em tempo de vida sem pensar também na qualidade de vida. E os mesmos fatores que fazem você viver mais fazem você melhor”, explica o médico. 

Os fatores listados pelo médico formam um pacote que implicam numa mudança de estilo de vida. Os tais segredos não são nada secretos. Para viver mais e melhor é preciso cuidar da alimentação, e manter hábitos de vida saudáveis, evitando beber em excesso e fumar. “É claro que também tem um componente genético que interfere e não tem como evitar. Mas aspectos comportamentais e do ambiente também influenciam”, detalha o profissional. 

Outro ponto importante de se observar, segundo o profissional, diz respeito ao aspecto sociocultural. “É importante que o idoso busque se manter ativo, em atividades em grupo, com a família. Um idoso que consiga contribuir socialmente é muito importante”, acrescenta.

Quem também entende essa importância é a aposentada Marta Passos, 82.

“Para mim o que importa é ter o que fazer. Você tem que ocupar a mente”. Para se ocupar, Dona Marta faz de tudo: segue cuidando da casa, costurando, e adora passear. “Eu gosto de andar de ônibus porque vejo a vida do povo. Subo ladeira, desço ladeira, tem muito jovem que não faz isso”, compara.

Alimentação e exercícios

Parte do pacote de segredos simples para garantir a longevidade com qualidade, a alimentação também deve ser cuidada para garantir qualidade durante os anos de vida. “Eu sempre brinco com meus pacientes. Desembale menos e descasque mais. É sempre bom focar em alimentos não processados”, conta a nutricionista Michelle Oliveira. “Quando a gente vai envelhecendo, também, o nosso paladar vai perdendo um pouco da sensibilidade, não vai percebendo tanto o doce e o salgado, então é preciso cuidado para não exagerar no sal e no açúcar”, alerta a profissional.

Michele chama a atenção, ainda, para a maneira de se alimentar. “É importante focar na alimentação com atenção plena, saboreando a comida, sentindo seus aromas, gostos e mastigando com cuidado. Isso faz muita diferença”, pontua

Completando os pontos de atenção para viver com qualidade, os exercícios também fazem a diferença na vida de quem pretende ultrapassar com qualidade as estatísticas. E se engana quem pensa que quem já está mais velho só pode fazer exercícios leves como hidroginástica, por exemplo.

“Quando a pessoa fica mais velha tem a tendência a perder massa muscular, óssea. Antes, se priorizava muito fazer a parte cardiorrespiratória, hoje, além disso se fala muito em um treinamento de força, para que o idoso mantenha algum nível de força e capacidade motora”, explica o educador físico e head coach do Crossfit Oxente, Tuti Perco.

O profissional conta que atividades que geralmente não são vistas como comuns para que já está mais velho são também uma opção; “Atividades como o próprio crossfit podem ser uma opção, são em grupo, o que já ajuda a criar laços, diminui uma tendência a depressão. E fazendo crossfit a pessoa sempre vai ser acompanhada por um profissional que vai sempre adaptar a atividade para o limite da pessoa”, detalha.

Planeje uma aposentadoria mais rica:

1.    Conheça seu número da aposentadoria - Pense quanto você quer ter quando se aposentar. Quando chegar o momento, qual a renda que você quer ter? Pensando nesse número é que se começa o planejamento;

2.    Pense no futuro - Sabendo esse número, pense o que você precisa fazer para atingi-lo. Qual seria o esforço mensal de economia que é preciso fazer para poder atingir essa meta;

3.    Plano Alternativo - É importante não contar apenas com a previdência social e contar sempre com um plano alternativo para complementar a renda;

4.    Como economizar -  Importante procurar a forma de realizar a reserva necessária: você vai buscar um trabalho extra? Ou reduzir despesas? Conhecer sua estrutura para saber como investir e economizar é importante; 

5.    Quanto mais cedo melhor - Quanto mais cedo se começar a poupar, menor é o esforço mensal que é preciso fazer;

6.    Planeje algo executável - Crie um planejamento que seja exequível e possível dentro da sua realidade para que seja possível executar com algum conforto;

7.    Tenha planos de médio prazo - Crie outros objetivos além da economia para a aposentadoria. Isso vai te ajudar a cumprir melhor as reservas que pensou para garantir uma velhice confortável;

8.    Não deixe todo resto de lado - Não deixe de investir em outras coisas - como viagens ou uma reforma - por pensar que prejudica a aposentadoria. É importante ter outros objetivos pelo caminho,se não você se desestimula. 

*Com orientações do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas