Saiba qual é o melhor serviço de streaming para você

tecnologia
11.10.2020, 16:00:00
(Shutterstock)

Saiba qual é o melhor serviço de streaming para você

Quantidade de ofertas pode confundir e muitos fatores são considerados

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quando a publicitária Flávia Politano, 32 anos, começou a assinar a Netflix, o streaming era uma novidade. A gigante americana chegou ao Brasil em 2011 e reinou sozinha no mercado por um bom tempo, mas as concorrentes foram desembarcando – e hoje são tantas que deixam os consumidores em dúvida sobre quais serviços devem escolher. “Foi ficando meio pesado (financeiramente)”, diz ela.

Com seus anos de frente, a Netflix conquistou um público cativo e também consegue oferecer um serviço com mais opções (está, por exemplo, na maioria das smarTVs e consoles), faz um pouquinho de tudo, além de ter um aplicativo mais azeitado. Pode parecer pouco, mas não é. A experiência com menos atrito para conseguir assistir acaba superando queixas de catálogo. “Para mim, a Netflix ainda tem o melhor pacote, se for considerar preço, opções e os aplicativos”, avalia a universitária Catiele Moraes, 28 anos.

Os consumidores usam algumas estratégias para tentar aproveitar mais opções, como dividir planos com parentes. “Eu combinei com as pessoas da minha família que cada um assina um. A Amazon (Prime Video) quem assina é meu cunhado, com meu irmão. Quem assina Globoplay é uma tia minha, que usa minha Netflix também. Isso facilitou”, explica Flávia.

Já Catiele costuma fazer assinaturas rápidas para assistir algo específico e depois cancelar, o que é fácil em boa parte das plataformas. “Assinei a HBO só para ver a última temporada de Game of Thrones e depois saí”, conta. “Também quando estou em uma fase com muita coisa para fazer na faculdade e sei que não vou aproveitar eu gosto de cancelar e volto quando tenho mais tempo”. Outra facilidade é para quem assina pacotes com os canais na TV a cabo e pode usar "de graça" apps como HBO, Telecine Play e Net Now.

Na hora de escolher qual serviço vai ficar para valer, muita coisa entra na conta. A Amazon é “super barata”, diz Flávia. A Netflix é “boa e pega em tudo”. A HBO chama atenção pelo catálogo, mas deixa a desejar no app. Dá para ver na TV sem ajuda de outro gadget? Oferece perfis separados? A interface é fácil e intuitiva? Tem alguma série que eu amo? Tudo vai sendo colocado na balança. 

Preço e aplicativos são, portanto, muito importantes na hora de se decidir por um serviço de streaming. Mas o mais relevante, e subjetivo, é o catálogo. Como saber qual melhor serviço de streaming para seu perfil?  

TENHO CRIANÇAS EM CASA
Para quem tem filhos, hoje, a escolha preferencial é a Netflix (a partir de R$ 21,90/mês), que permite criar um perfil com classificação etária e traz boas opções para crianças. O Looke (a partir de R$ 16,90/mês), que mistura opções de mensalidade e aluguel por título, também tem um catálogo infantil robusto. A partir de 17 de novembro, um concorrente de peso para esse público desembarca no Brasil: a Disney+, que chega com seu catálogo gigante e famoso. O preço ainda não foi divulgado oficialmente. 

Bob Sponja Fora D'Água está na Netflix, que permite perfil infantil (Foto: Reprodução)

SOU CINÉFILO
Todos os grandes serviços de streaming ofertam filmes – alguns, como a Netflix, têm investido mais em conteúdo próprio. O que tem mais variedade e longas recentes é o Telecine Play (R$ 37,90/mês). Para quem gosta de filmes de arte, o Mubi (R$ 27.90/mês ou R$ 16,90 para estudantes) é uma boa recomendação. Só que o serviço é diferente: uma seleção de títulos fica disponível por 30 dias e de mês em mês o catálogo é renovado. Outra opção nessa linha é o Belas Artes à La Carte (R$ 9,90/mês ou por aluguel), que traz filmes cult e clássicos que têm menos espaço nas grandes plataformas. O Prime Video (R$ 9,90/mês) ampliou o seu catálogo com a inclusão de canais, como MGM e Paramount – mas a assinatura de cada um é um valor a mais.

Vencedor do último Oscar, Parasita está no Telecine (Foto: Divulgação)

SOU SERIEMANÍACO
Uma boa notícia para quem ama séries: nunca se fez tanto seriado! Até o Facebook produz séries originais. A má notícia: é impossível dar conta de tudo e, muito menos, assinar todos os serviços de streaming. A escolha é cruel. Em questão de qualidade, a HBO GO (R$ 34,90/mês) ainda se destaca (duas das grandes vencedoras do último Emmy, Watchmen e Sucession, estão lá). Além disso, está disponível on-line todo seu acervo com clássicos, como Sopranos e The Wire, e os bons lançamentos não param – agora, por exemplo, dá para acompanhar semana a semana a minissérie Pátria e o sucesso Lovecraft Country. A Netflix muitas vezes investe mais em quantidade que qualidade, mas ganha pontos pelo conjunto do pacote. 

Watchmen, destaque no Emmy, está na HBO (Foto: Divulgação)

AMO ANIMES
A solução perfeita é o Crunchyroll (gratuito com propagandas ou a partir de R$ 25/mês), que tem mais de mil desenhos japoneses. Dá para assistir dublado ou legendado – para quem paga, alguns episódios são disponibilizados em até uma hora após o lançamento no Japão. Nos serviços maiores, o Prime e a Netflix também têm catálogos com alguns títulos relevantes de anime – essa última oferece também os famosos filmes do estúdio Ghibli. 

One Piece, um dos animais mais longevos e de sucesso (Crunchyroll)

AMO TERROR
É bem específico, mas existe também uma opção só para os fãs do gênero. O streaming brasileiro Darkflix (R$ 9,90/mês) foi lançado em 2019 só com filmes e séries de terror. O catálogo gira sempre em torno de 600 filmes e 300 episódios de séries de vários países. Há documentários, curtas, animações, séries, todos na área de fantasia, terror, ficção científica e afins. O site e o app têm menos recursos (não dá para alterar resolução ou assistir offline, por exemplo), mas se você é muito fã de terror vale experimentar. A Netflix também investe no gênero – preparou para esse mês de outubro a entrada de vários títulos, incluindo as adaptações dos clássicos It: A Coisa e Cemitério Maldito, para um especial de Halloween. 

It: A Coisa faz parte de estreias do Halloween na Netflix (Foto: Divulgação)

MEU NEGÓCIO É NOVELA
Se esse é seu caso, é essencial ter a Globoplay (R$ 22,90). Todas as novelas atuais da Rede Globo estão disponíveis lá e eles têm recuperado trabalhos antigos. Em maio, quando anunciou a intenção de relançar tramas do seu acervo, o serviço tinha 91 novelas disponíveis, mas a maioria era de produções recentes – de 2010 para cá. A ideia é colocar no ar uma novela antiga na Globoplay a cada duas semanas. Começaram com A Favorita (2008), Tieta (1989), Explode Coração (1995) e Meu Bem, Meu Mal (1990). Outra opção é a Netflix, que tem disponível algumas novelas da Record e também opções de outros países, como Turquia, Colômbia e México (infelizmente nenhuma das clássicas com Thalia).  

Meu Bem, Meu Mal entrou na Globoplay (Foto: Divulgação)

APAIXONADO POR ESPORTES

Série documental Six Dreams acompanha personagens de La Liga (Prime Video)

Esporte é um mundo à parte e também em crescimento no streaming. Para quem gosta de documentários sobre o tema, o Prime Video e a Netflix têm investido no filão. Já para acompanhar ao vivo, há opções como o Premiere (R$ 79,90/mês), que é o mais completo e o mais salgado para fãs de futebol, e EI Plus (R$ 19,90/mês). Outra possibilidade é o Dazn (R$ 19,90), que traz também outras modalidades, como basquete e tênis, entre outros.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas