Saiba quem são Monark e Adrilles, nomes que se envolveram em polêmica sobre nazismo

em alta
10.02.2022, 11:46:17

Saiba quem são Monark e Adrilles, nomes que se envolveram em polêmica sobre nazismo

Dupla foi muito comentada nas redes sociais nesta semana

O ex-apresentador do podcast Flow, Monark, e o ex-comentarista da Jovem Pan, Adrilles Jorge, foram afastados de seus postos após posturas polêmicas sobre o nazismo. Monark se disse favorável à existência de um partido nazista no Brasil, enquanto que Adrilles fez gesto associado ao nazismo ao comentar episódio envolvendo o youtuber.

Tudo começou quando o apresentador do Flow disse achar que "o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei." E prosseguiu: "As pessoas não têm direito de ser idiotas? A gente tem que liberar tudo", afirmou durante programa exibido na noite de segunda, 7.

Na ocasião, a fala foi rebatida pela deputada Tabata Amaral (PSB-SP), que participava como convidada. Monark, no entanto, insistiu na defesa: "A questão é: se o cara quiser ser um anti-judeu, ele tinha que ter direito de ser".

Ao comentar o episódio, que culminou no desligamento de Monark do Flow, o comentarista da Jovem Pan, Adrilles Jorge, por sua vez, fez um gesto associado ao nazismo em rede nacional, nessa terça-feira, 8. No fim de sua fala no programa Opinião, no canal de TV, Adrilles fez uma variação do "sieg heil", saudação usada por Hitler e seus apoiadores. Ele também foi afastado do canal após o ocorrido.

O gesto usado por Adrilles não é o formato mais conhecido da saudação nazista, com o braço estendido à altura da cabeça. O movimento feito pelo comentarista, com o braço flexionado e a mão aberta à altura do rosto, era realizado por Hitler e pelo ministro da Propaganda nazista, Joseph Goebbels, após discursarem, como resposta à saudação feita pelo público.

Monark
Mais conhecido na internet como Monark, Bruno Aiub tem 31 anos e é um dos maiores youtubers de games do Brasil. Nascido em São Paulo, ele se mudou para Curitiba há cerca de 10 anos, pouco depois de começar a fazer vídeos para o YouTube, em 2009.

Com um humor ácido, o influenciador começou a fazer sucesso com as transmissões ao vivo e vídeos sobre jogos clássicos da nova geração. Para além dos games, Bruno também compartilhava curiosidades sobre famosos e fatos inusitados.

O sucesso na internet ajudou o jovem a expandir a atuação para outras áreas. O paulistano é um dos fundadores e sócio ou administrador de diversas empresas constituídas em nome do Flow, entre as quais a Flow Produção de Conteúdo Audiovisual e a IB Holding de Participações, segundo a Junta Comercial de São Paulo (Jucesp).

Criado por Monark e por Igor Coelho (Igor 3K), o Flow é um dos podcasts com maior audiência do Brasil e tem 3,6 milhões de inscritos só no canal do YouTube.

O apresentador se envolveu em outras polêmicas por falas consideradas racistas e homofóbicas. Em 2021, Monark foi muito criticado depois de ter questionado no Twitter se "ter opinião racista é crime".

Após a fala sobre nazistas, Monark foi desligado do podcast e também vai deixar de ser sócio das empresas produtoras, de acordo com a assessoria de imprensa.

Adrilles Jorge
Adrilles foi contratado pela Jovem Pan após fazer defesa desmedida do presidente Jair Bolsonaro (PL) e críticas a Lula (PT). Inicialmente, ele fazia parte apenas do elenco do programa Morning Show, da rádio Joven Pan, onde se destacou pelas suas ideias no campo da extrema direita conservadora. Posteriormente, foi ganhando espaço na emissora, passou a integrar outros programas como comentarista da emissora.

Adrilles, que tem 47 anos, formou-se em jornalismo na PUC-MG e se especializou em arte moderna. Atuou como repórter, editor, produtor de televisão, revisor, redator e colunista.

O comentarista ficou conhecido na mídia em 2015, após participar do reality show Big Brother Brasil (BBB), da Globo.

Em julho de 2021, ao comentar as acusações de corrupção contra Bolsonaro, o ex-BBB chamou as “rachadinhas” de “acordo entre patrão e funcionário”. “Se alguém decidir de comum acordo te dar um dinheiro, não é roubo”, pontuou. Ele também já fez declarações negacionistas, minimizando a gravidade da pandemia da Covid-19.

Uma das polêmicas mais recentes de Adrilles envolveu o ator Tiago Abravanel, contra quem fez comentários homofóbicos. “Vão me chamar de homofóbico, mas dane-se. O Tiago tá muito gay. Ele não era tão gay assim”, disparou Adrilles.

O participante do Morning Show também teve falas absurdas ao negar que mulheres negras tenham sido estupradas durante a escravização e minimizar o racismo no Brasil, dizendo que é pequeno diante de países como África do Sul e Estados Unidos.

“As negras não foram estupradas. Elas namoravam com brancos, ou seja, a gente criou uma cultura democrática racial graças ao pouco racismo que a gente tem diante de países como África do Sul e Estados Unidos, em que você vê na pele o racismo”, afirmou.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas