Salvador assina carta de compromisso para redução de mortes no trânsito

salvador
18.05.2021, 13:50:00
(Bruno Concha/Secom PMS)

Salvador assina carta de compromisso para redução de mortes no trânsito

Na década anterior, capital baiana atingiu meta 3 anos antes do previsto

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Salvador é a primeira cidade brasileira a assinar uma carta de compromisso com a Organização das Nações Unidas (ONU), com o objetivo de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2030. Entre 2011 e 2020, a capital baiana conseguiu atingir a meta três anos antes do acordado, em 2017.

A prefeitura destaca que os números só diminuíram por conta do projeto Vida no Trânsito, iniciativa voltada para vigilância e prevenção de acidentes e mortes no trânsito. Coordenada na capital baiana pela Superintendência de Trânsito (Transalvador), a iniciativa conta com outros órgãos municipais, estaduais e federais.

Segundo o superintendente Marcus Passos, a Transalvador investe em diversos segmentos de educação no trânsito, com o objetivo de reduzir acidentes. Entre os destaques estão ações para reciclagens com os motoristas da prefeitura e cursos de direção defensiva para motociclistas, mototaxistas e motofrentistas, além de cursos de educação no trânsito em escolas públicas e particulares.

Também há os investimentos feitos nas ruas, com sinalização, colocação do piso compartilhado, faixas elevadas, sinalizações diferenciadas e ampliação de calçadas.

Década de Ações Pela Segurança no Trânsito 
A iniciativa foi lançada com o intuito de reduzir o número de mortes e lesões no tráfego e salvar vidas. À época do lançamento, havia uma estimativa de cerca de 1,2 milhão de mortes por ano no trânsito. Atualmente, o número aumentou para 1,3 milhão.

De acordo com Vitor Pavarino, consultor de segurança no trânsito da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), entidade ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS), do ponto de vista relativo, é possível dizer que houve uma estabilização do número, considerando que aconteceu um aumento da população e da frota veicular. No entanto, os acidentes no trânsito ainda são a nona causa de morte no mundo.

Dante Rosado, coordenador executivo da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global no Brasil, destaca que Salvador foi uma das cidades no país que conseguiu alcançar a meta. “Quem não conseguiu atingir a meta terá mais uma chance, e quem já alcançou, é mais uma oportunidade de avançar e reduzir o número de mortes”, disse Rosado. “Hoje, atuamos com políticas e ações que vão desde capacitação à revisão de projetos e colocamos Salvador em contato com outras instituições para troca de experiências, o que beneficia cada vez mais as cidades. É muito bom poder contribuir para Salvador”.

A iniciativa trabalha com quatro eixos que ajudam a qualificar e quantificar o problema: levantamento de dados e monitoramento do trânsito; fiscalização; educação para o trânsito; e mobilidade e desenho urbano. No eixo da comunicação, o objetivo é engajar a sociedade no enfrentamento do problema e fiscalização, mostrando aos agentes de trânsito que o trabalho deles vai além do usual, mas de mudar o comportamento dos motoristas, fazendo com que eles entendam que o papel deles é salvar vidas.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas