Salvador ligeirinha: primeira etapa do BRT sai em até 28 meses

salvador
15.03.2017, 06:00:00

Salvador ligeirinha: primeira etapa do BRT sai em até 28 meses

Trecho será corredor ligando o Parque da Cidade ao Iguatemi
(Foto: Reprodução)

O que é possível fazer em 16 minutos do dia? Em breve, dará para ir da Lapa até o Iguatemi usando o BRT. A estimativa da Prefeitura de Salvador, responsável pela obra, é que o percurso com o novo modal gere, em média, uma economia de tempo de 37% para quem vai de uma ponta à outra. O edital de licitação do primeiro trecho, que ligará o Parque da Cidade ao Iguatemi, foi lançado ontem pelo prefeito ACM Neto (DEM).

Com o primeiro trecho do BRT em pleno funcionamento será possível percorrer esse trecho de 2,9 km em sete minutos, aliviando a agonia do usuário de ônibus que fica preso no engarrafamento da Avenida Antonio Carlos Magalhães em horário de pico.

As obras do primeiro trecho têm um prazo de 28 meses para serem concluídas, a partir da data de assinatura do contrato com a empresa vencedora, que será conhecida num prazo de até 120 dias. Ou seja, até o final de 2019, o primeiro trecho deverá estar pronto. A projeção é que o sistema de vias exclusivas e preferenciais atenda a 31 mil pessoas por hora nos horários de pico até 2044.

Ainda não há, porém, previsão de quando todo o sistema vai funcionar. Será um corredor formado pela Avenida Vasco da Gama, Lucaia, Avenida Juracy Magalhães e Avenida ACM. Até que o trecho 2, entre a Lapa e o Parque da Cidade, fique pronto, a primeira etapa, quando concluída, vai operar com ônibus comuns adaptados, com portas dos dois lados. Os veículos biarticulados, característicos do modal BRT, serão usados apenas após o término da segunda etapa.

Integração econômica
“Este projeto foi compreendido para fazer a integração entre os dois principais centros econômicos da cidade: o Centro Histórico e a região do Iguatemi. A medida segue o que está previsto no PDDU e na Louos, que é a descentralização de serviços e setor econômico para os bairros”, disse o prefeito ACM Neto. Ele acrescentou que um dos objetivos é “levar o emprego para mais perto de casa”.

O secretário municipal de Mobilidade, Fábio Motta, destacou a importância da região do Iguatemi, onde há maior fluxo de carros. “É uma artéria central, o fluxo dela impacta em outras vias importantes, como na Vasco, Garibaldi e BR-324”, afirma.

Capacidade
Cada veículo biarticulado do BRT terá capacidade de transportar 170 passageiros e viajar a uma velocidade de 25 a 40 km/h. A capacidade é o dobro dos ônibus convencionais que operam hoje em Salvador, cuja capacidade máxima, de acordo com a ABNT, é de 80 passageiros, sentados e de pé.

O BRT de Salvador receberá investimento de R$ 408 milhões, provenientes de um contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal. Desse montante, R$ 300 milhões virão do Programa Pró Transporte-FGTS e R$ 108 milhões do Programa de Financiamento das Contrapartidas do Programa de Aceleração do Crescimento (CPAC).

O edital está disponível na Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop).  

Inferno
Para quem está preso no engarrafamento, o tempo custa a passar. A secretária Gláucia Souza, 26 anos, não vê a hora da obra ficar pronta. Ela trabalha no Iguatemi e, constantemente, precisa se deslocar até o Itaigara para resolver demandas. Já chegou a levar quase uma hora para atravessar o trecho. “É um inferno, a gente dorme, acorda e ainda está dentro do ônibus”, diz. 

O mesmo acontece com o estudante Vinícius Menezes, 27, que entre casa, estágio e faculdade, circula diariamente no trecho que vai do Stiep até a Avenida Garibaldi. Ao meio-dia, ele leva até 50 minutos no ônibus. “Vai ser bom economizar tempo, hoje a gente vive uma vida tão corrida”, comenta o estudante. 

"A gente dorme, acorda e ainda está dentro do ônibus", desabafa Gláucia
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Segundo passo
A licitação da segunda etapa do BRT, entre o Parque da Cidade e Lapa, pode sair ainda no fim deste ano. Segundo Neto, a prefeitura trabalha para que pelo menos uma parte dos R$ 412 milhões necessários seja liberada pelo governo federal. Há ainda uma extensão da obra, ligando o Parque da Cidade à orla da Pituba. 

Segundo Fábio Mota, é possível que os dois trechos sejam construídos ao mesmo tempo e que a segunda parte leve menos tempo para ficar pronta, já que o trecho até a Lapa vai aproveitar a via exclusiva de ônibus já existente na Vasco da Gama. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas